PUBLICIDADE
Topo

UOL Esporte vê TV

Cartolouco vira "Cartocoach" e ajudará jovens em mentorias sobre carreira

Reprodução/RedeTV!
Imagem: Reprodução/RedeTV!

Gabriel Vaquer

Colaboração para o UOL, em Aracaju

21/05/2020 04h00

Fora da Globo desde o último mês de abril, o jornalista Lucas Strabko, o Cartolouco, vai se aventurar na área de palestras. Nas próximas semanas, ele passará a ser coach, com dicas sobre como ter uma carreira de sucesso no jornalismo e na área empresarial em uma plataforma online especializada nesse tipo de serviço para profissionais.

Em conversa com o UOL Esporte, Cartolouco admitiu que o fato aconteceu sem ele esperar muito. O convite aconteceu logo depois de sua saída da emissora carioca, através de uma mensagem no Instagram. O jornalista gostou da conversa e achou que poderia, de fato, ajudar de alguma forma.

"Foi muito do nada. Quando fui demitido [da Globo], um cara entrou em contato, de uma empresa que faz agenciamento de pessoas. Estava no Instagram e 'pá!', do nada apareceu uma questão de eu fazer uma mentoria. Pensei o que era isso e o cara respondeu na hora a minha mensagem. Ele disse que tinham aberto uma plataforma de mentoria e me convidaram", disse o apresentador.

O foco de sua mentoria será para o público jovem, que ainda está saindo da universidade. Strabko, até por também ser jovem, entende que pode ajudar garotos comuns que estão sofrendo bastante na vida.

Cartolouco entra no ramo de mentorias para jovens profissionais - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

"Eu fui pesquisar, eu fui entender, e na minha vida as coisas sempre foram meio do nada (risos). Eu acho que posso colocar em prática uma ideia que eu sempre tive, que é sobre a questão do jovem. Hoje em dia, o jovem sofre demais, demais mesmo. O jovem sofre em relação a tudo, a emprego, a vida pessoal. É difícil ser jovem, é muita pressão de fazer acontecer. Mas o mercado de trabalho paga muito pouco, não te dá oportunidade, te faz sofrer muito. E eu sou jovem, tenho 25 anos. E é uma coisa muito triste, é um dado isso: entre pessoas de 15 e 24 anos, o suicídio é a segunda maior causa de morte. Como tanta gente deixa a vida com tanto para construir? É por isso que eu queria falar com essas pessoas", explica ele.

"Com 21 anos, realizei o maior sonho da minha vida"

Quando postou em seus stories do Instagram sobre o assunto, Cartolouco foi vítima de piadas de alguns seguidores, já que não poderia falar sobre ter uma carreira de sucesso tão novo. Strabko falou sobre as críticas e disse que, mesmo com tão pouca idade, realizou o maior sonho que tinha: trabalhar na Globo.

"Eu vi umas pessoas me zoando e tal sobre 'Cartolouco e carreira de sucesso', mas eu com 21 anos, eu realizei o meu maior sonho, que era trabalhar na Globo. Com 22, ainda na cadeira da faculdade, eu já estava cantando a música de fim de ano na Globo. Com 23, virei o apresentador mais novo da história do SporTV. Acho que falando sobre jovens, para os jovens, eu tive sim uma carreira de sucesso. Eu realizei o meu sonho. E é isso que eu quero falar para essas pessoas, para dizer para elas que é possível realizar os sonhos delas", disse o jornalista.

A ideia de Cartolouco é fazer uma mentoria gratuita e conversar com jovens que se interessem a falar sobre o assunto:

"A ideia é fazer uma mentoria de graça, para conversar com o jovem, mas não para iludir ou vender o sonho, mas a gente debater junto, caso a caso, o que essas pessoas precisam fazer para realizar os seus sonhos. Porque eu acho que o jovem se perdeu muito nas decisões de fazer faculdade, porque muito jovem faz o curso para ganhar dinheiro, mas esqueceu de ser feliz, do que vai fazer bem para ele. E muita gente me falava que eu ia ser pobre com o jornalismo. Eu até sou uma semi-f***, mas sou um semi-f*** feliz demais!", contou, com bom humor.

Cartolouco disse que cobrará apenas de instituições que queiram que ele palestre em escolas e faculdades, mas não irá cobrar nada de alunos.

"Eu acho justo cobrar das empresas, porque elas cobram dos alunos. Então é uma troca. Mas de jovem pra jovem, tem que ser um papo. E eu me acho, mesmo novo, me acho capaz de passar conteúdo, porque sei o que o jovem passou e passa na faculdade, eu sei como é difícil se formar. É complicado demais, eu já passei por tudo isso e consegui ser bem-sucedido. Mesmo com pouca idade, tive uma experiência de vida incrível", concluiu.

Por fim, ele diz que não fará palestras e mentorias de forma convencional: "Não vai ser falar uma coisa bonita, todo mundo bater palma e gritar. Não vai ser isso. Acho até errado falar que é uma mentoria, é um papo. Um papo direto, os jovens e eu", finalizou o jornalista.

UOL Esporte vê TV