PUBLICIDADE
Topo

UOL Esporte vê TV

Queda em massa faz Combate fechar com pior número de assinantes em 10 anos

Buda Mendes/Zuffa LLC
Imagem: Buda Mendes/Zuffa LLC

Gabriel Vaquer

Colaboração para o UOL, em Aracaju

05/05/2020 04h00

Canal de pay-per-view de lutas da Globo e que exibe eventos do UFC com exclusividade para o Brasil, o Combate foi a emissora que mais sofreu com a pandemia do Covid-19. Pela primeira vez desde o 'boom' do UFC e do MMA no Brasil, no início da década de 2010, o Combate vai fechar abaixo da marca de 1 milhão de assinantes.

Segundo apurou o UOL Esporte, pelo menos 145 mil assinantes do canal de lutas deixaram de ser assinantes fixos, tanto na plataforma digital, o Combate Play, como através do sistema de assinatura via TV por assinatura, onde a operadora é a intermediária.

Com a perda de assinantes, o Combate fechou o mês de abril, pela apuração da reportagem, abaixo da casa dos 900 mil assinantes fixos por mês. A queda já era esperada pela direção esportiva da Globo, mas os números em massa, mesmo assim, assustaram bastante, porque a perda foi maior do que a estimada.

A assinatura do Combate custa entre R$ 75 e R$ 90, tanto em venda direta feita pela Globo, quanto pelas operadoras de TV por assinatura. Ou seja, estimando pelo valor mínimo e máximo cobrado pelo Combate aos assinantes, a Globo perdeu entre R$ 10,8 e R$ 13 milhões apenas no mês de abril com os cancelamentos.

A situação do canal de lutas é considerada até pior que a do Premiere, porque o pay-per-view do futebol ainda tem uma base maior de assinantes - na casa dos 1,8 milhão de assinantes, chegando a atingir 2 milhões em momentos de boa fase dos clubes mais populares. Com essa média, o prejuízo do Premiere é considerado administrável.

Mesmo com a queda grande no mês passado, a direção de Esporte da Globo entende que os números podem ter uma nova subida e voltar ao patamar acima de 1 milhão de assinantes com o retorno das competições do UFC, que terá o UFC 249 realizado no próximo sábado (9) em Jacksonville, na Flórida (EUA).

Além do evento no próximo fim de semana, o UFC tem eventos marcados para os dias 13 e 16 deste mês. Por causa da pandemia, os eventos ocorrerão em um lugar fechado, sem a presença do público, o que deve fazer o faturamento com pay-per-view do UFC disparar em todo o mundo, inclusive aqui no Brasil.

Procurada desde a última quinta (30), a Globo não respondeu o questionamento sobre o Combate até a conclusão da reportagem.

UOL Esporte vê TV