PUBLICIDADE
Topo

UOL Esporte vê TV

Ator se despede de Avenida Brasil e relembra desidratação para viver Popó

Daniel Rocha como Acelino Popó Freitas em "Irmãos Freitas", série nacional lançada em outubro do ano passado - Stella Carvalho
Daniel Rocha como Acelino Popó Freitas em "Irmãos Freitas", série nacional lançada em outubro do ano passado Imagem: Stella Carvalho

Gabriel Carneiro

Do UOL, em São Paulo

29/04/2020 04h00

O esporte está desde cedo na rotina de Daniel Rocha, 29. Ele foi atleta de kickboxing na adolescência, cresceu como torcedor do São Paulo, jogou futebol na escola e vibrou como fã de Ronaldo e a seleção brasileira de 2002.

Aos 18 anos, depois de quebrar duas vezes o pé e se ver diante da difícil realidade do esporte no país, largou os treinos e descobriu o teatro. Por acaso (ou não), já viveu três esportistas: Léo, no filme "Eu Sou Brasileiro", Acelino Popó Freitas, na série "Irmãos Freitas", e Roni, na novela "Avenida Brasil".

Nesta semana, inclusive, ele se despede pela segunda vez do sucesso da Globo exibido em 2012 e revisitado no "Vale a Pena Ver de Novo". O jogador de futebol Roni, do Divino Futebol Clube, foi seu primeiro papel na TV: "Eu era um ator de teatro em São Paulo, tinha 21 anos no meio da novela, nunca tinha feito TV e não sabia o quão importante seria quando comecei a gravar. Até que um dia, no primeiro mês de novela, o Otávio Augusto, um cara com 50 papéis no currículo, falou que era algo meio histórico o que fazíamos, pela qualidade de direção e texto."

Daniel Rocha como Roni - Reprodução - Reprodução
Spoiler: Roni (Daniel Rocha) termina Avenida Brasil com Leandro (Thiago Martins) e Suelen (Isis Valverde)
Imagem: Reprodução

"Minha estreia não podia ter sido melhor. Foi um personagem interessante, para minha idade o mais complexo que eu podia ter na trama, porque era um jogador de futebol que se apaixona pelo melhor amigo [Leandro, feito por Thiago Martins] e depois por uma garota [Suelen, Isis Valverde] e terminam os três juntos. Foi bem legal, uma construção muito orgânica guiada pelo autor. Eu só tinha que ir e falar o texto", conta.

O ator que deu vida a Roni não era exatamente um craque. Diz que na escola era sempre o último a ser escolhido, por isso teve longa preparação para viver o papel e ainda contou com um dublê mais afeito ao jogo. "Achavam que eu jogava bem, mas eu sou só canhoto, às vezes o canhoto é bom de bola, então dava para enganar na montagem. O dublê te ajuda a construir um bom jogador. É um esporte difícil de se filmar. Se você analisar, quantos filmes de futebol bons existem? Eu nunca vi. E quantos filmes de boxe bons? Vários", reflete, ao UOL Esporte.

"Tenho o quê a ver com o Popó?"

Anos depois de dar vida ao Roni, Daniel Rocha interpretou mais um esportista, mas desta vez alguém que existia no mundo real: Acelino Popó Freitas, ex-pugilista tetracampeão mundial. "Irmãos Freitas", sobre a história do lutador e de seu irmão menos conhecido, Luis Claudio, estreou no canal SPACE em outubro do ano passado e também está disponível na plataforma Amazon Prime Video.

Daniel Rocha como Popó - Divulgação/Gullane - Divulgação/Gullane
Ator enxugou 12kg para dar vida ao lutador
Imagem: Divulgação/Gullane

Sérgio Machado e Walter Salles assinam o projeto. Eles têm na esteira grandes produções, como "Cidade Baixa", "Madame Satã", "Central do Brasil", "Diários de Motocicleta" e "Linha de Passe", então dá para entender o peso que "Irmãos Freitas" teria no currículo de qualquer ator.

"Eu já gostava muito de boxe, amava. Treinei kickboxing muitos anos, competi, sempre tive proximidade. Mas quando me chamaram para o teste minha primeira resposta foi: "pô, legal, boxe, um teste com Sérgio Machado e Walter Salles não é toda hora, mas eu não vou passar. Tenho o quê a ver com o Popó?" No fim foi um teste de 800 atores e acabou dando eu", relembra o ator.

Fiquei feliz com o resultado. Foi meu melhor trabalho, o mais maduro.

O processo inteiro durou quase um ano. Daniel Rocha se entregou ao personagem e chegou a perder 12kg, sendo 4kg em apenas uma semana, num processo de desidratação para dar realidade à cena: "O Sérgio Machado veio me perguntar como queria fazer uma cena específica, eu falei que iria desidratar. Nosso produtor executivo achou loucura, porque é uma agressão forte com o corpo, mas bancamos. Eu vi que as condições são desumanas fisicamente, você fica mais de 40 horas sem beber água, não tem fome, só sede. É difícil até interpretar isso, ficaria artificial. Nos grandes trabalhos de interpretação os atores fizeram isso."

Daniel Rocha e Fernanda Vasconcellos - Divulgação/Elo Company - Divulgação/Elo Company
Daniel Rocha e Fernanda Vasconcellos estrelam "Eu Sou Brasileiro", filme em que o ator faz um jogador de futebol. Obra foi lançada em 2019 e está disponível no "Now" da Net
Imagem: Divulgação/Elo Company

Daniel passou uma semana sem consumir nada com sódio, com alimentação muito regrada, e treinava boxe de duas a três vezes por dia vestindo capa. Um dia antes da cena, parou de comer e beber água e passou o dia treinando. Foi para a sauna de casaco e na hora de dormir, bem agasalhado independentemente do calor, se cobriu com edredons. Entre os efeitos desse processo para perder líquidos e peso estão a perda da audição e dores na bexiga, entre outros. "É radical, desumano. Mas pelo personagem eu faria de novo."

A preparação para viver Popó também envolveu mais inserções na dura realidade de vida do pugilista: "Sou um ator paulista do bairro da Mooca, com sotaque paulistano, realidade classe média, que foi interpretar um lutador baiano, pobre, da periferia, e que passou fome. Não tínhamos muita coisa em comum, se depender só do meu repertório ferrou. Por isso fui três vezes por dia treinar na favela, conhecer os lugares que ele frequentava, meus professores eram todos baianos, eu aprendi o sotaque. Foi uma preparação de seis meses só para começar a falar em dar texto. Podiam pensar que eu era maluco, mas eu achava que precisava."

E ao contrário do Roni, o Popó foi sem dublê.

Isolado em seu apartamento no Rio de Janeiro, Daniel Rocha precisou interromper as gravações de "Névoa" (nome provisório), produção da HBO. Nesta série ele dará vida a um músico. Suas redes sociais já estão recheadas de vídeos tocando violino.

Nearer My God To Thee

Uma publicação compartilhada por Daniel Rocha (@danielrochaaz) em

UOL Esporte vê TV