PUBLICIDADE
Topo

UOL Esporte vê TV


Por que Fox Sports segue contratando mesmo com futuro indefinido?

Mauro Naves é o novo reforço do Fox Sports, que também investe em tecnologia - Reprodução/TV Globo
Mauro Naves é o novo reforço do Fox Sports, que também investe em tecnologia Imagem: Reprodução/TV Globo

Gabriel Vaquer

Colaboração para o UOL, em São Paulo

26/02/2020 04h00

A contratação de Mauro Naves pelo Fox Sports acendeu uma dúvida em boa parte dos telespectadores. Como um canal esportivo que pode terminar ou mudar de donos nos próximos meses, por causa do processo de fusão entre Disney e Fox no Brasil, segue atraindo profissionais? A resposta passa exatamente por esse futuro incerto.

Segundo apurou o UOL Esporte, o Fox Sports está mantendo a normalidade e seguindo a vida normalmente por orientação da direção do canal aos seus profissionais. Hoje funcionando praticamente como um canal independente, a emissora tem departamentos autônomos e não responde para a Disney, diferentemente de seus canais co-irmãos, como o FX e o Fox Channel, que já são controlados pela corporação americana, o que lhe dá maior poder de decisão.

Sem ter de dar essa resposta hierárquica, olhando para cima, o Fox Sports está contratando e fazendo investimentos dentro de suas necessidades, sem gastar tanto para não estourar o orçamento. Além de Mauro Naves, o canal contratou na semana passada o jornalista Rafael Maques, que atua na Rádio Globo do Rio de Janeiro. Ele participará do Expediente Futebol semanalmente.

Outro investimento acontece em seus bastidores. O Fox Sports encomendou a compra de câmeras com tecnologia 8K para a produção de conteúdo, algo que já existe em outros canais esportivos, como o SporTV. O canal também fará uma cobertura jornalística dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 e pretende enviar repórteres para o Japão.

A fusão entre Disney e Fox —e, consequentemente, a definição do futuro do Fox Sports— ainda não tem uma data para acontecer. A próxima sessão do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), que está revendo o negócio no Brasil, está marcada para o dia 9 de março, mas dificilmente o assunto entrará em plenário.

É que o mais novo conselheiro do Cade, Luis Henrique Bertolino Braido, está se reunindo com possíveis compradores do Fox Sports —no caso, o grupo espanhol Mediapro e o DAZN. Bertolini está se inteirando sobre o caso para embasar seu voto, já que, quando chegou ao Cade, em novembro do ano passado, o negócio já estava sendo revisto pelo órgão.

A demora para a definição da fusão com a Fox no Brasil já incomoda a Disney. Em reuniões com o Cade, a multinacional já deixou claro que o atraso na definição atrapalha planos e investimentos que a empresa quer fazer no Brasil, inclusive no setor esportivo.

UOL Esporte vê TV