PUBLICIDADE
Topo

"Relaxadas", Ágatha e Duda vencem Canadá e vão às oitavas no vôlei de praia

Ágatha e Duda, dupla brasileira que busca medalha no vôlei de praia da Tóquio-2020 - Reprodução/Instagram
Ágatha e Duda, dupla brasileira que busca medalha no vôlei de praia da Tóquio-2020 Imagem: Reprodução/Instagram

Adriano Wilkson

Do UOL, em Tóquio

29/07/2021 09h51

Ágatha e Duda entraram mais relaxadas e "se divertindo", segundo as próprias, para vencer Brasil as canadenses Bansley e Brandi por 2 sets a 0. O resultado fez as brasileiras avançarem para as oitavas de final das Olimpíadas como segundas colocadas do grupo C, com duas vitórias e uma derrota.

"Estávamos concentradas de forma muito exagerada nos dois primeiros jogos e isso trava o jogo, ficamos muito racionais. E nosso jogo é muito alegre, sempre colocamos muita emoção, nos comunicamos muito. Hoje conseguimos equilibrar melhor. Agora está começando a aparecer o nosso jogo", afirmou Ágatha após a partida.

A dupla fez um jogo tranquilo, apesar de equilibrado, e conseguiram a vitória nos dois sets por 21 a 18.

No primeiro set a dupla do Canadá errou muito. Foram 9 erros contra 2 do Brasil, que aproveitou para criar a vantagem. O segundo set também foi nivelado, mas as brasileiras foram melhores e consolidaram a vitória.

Na fase preliminar da competição, a dupla brasileira ganhou o primeiro jogo contra a Argentina por 2 sets a 0, foi derrotada na segunda partida contra as chinesas por 2 sets a 0 e buscou hoje a recuperação para avançar para a próxima fase. As adversárias ainda vão ser definidas nos próximos dias.

Dupla vibra com prata de Rebeca

As brasileiras caminhavam para entrevista depois da partida quando souberam da medalha de prata conquistada pela ginasta Rebeca Andrade. As duas comemoravam o resultado.

"A gente vibra e acompanha mesmo. É muito legal quando seu país consegue algo que tanto almejou. Eu vibrei e me arrepiei com a Rebeca", afirmou Duda. "É muito legal esse clima de Olimpíada."

"Na outra Olimpíada [no Rio] eu fiquei na Urca, muito isolada", completou Ágatha. "Aqui a gente concentra e também fica de olho nos outros brasileiros, também pra pegar essa energia."