PUBLICIDADE
Topo

Ana Sátila deixa futuro indefinido e fala sobre dificuldades na preparação

28.07.2021 - Jogos Olímpicos Tóquio 2020 - Tóquio - Kasai Canoe Slalom Park - Na foto Ana Satilá do Time Brasil durante as eliminatórias da categoria C1 da canoagem slalom. Foto: Míriam Jeske/COB - Miriam Jeske/COB
28.07.2021 - Jogos Olímpicos Tóquio 2020 - Tóquio - Kasai Canoe Slalom Park - Na foto Ana Satilá do Time Brasil durante as eliminatórias da categoria C1 da canoagem slalom. Foto: Míriam Jeske/COB Imagem: Miriam Jeske/COB

Adriano Wilkson

Do UOL, em Tóquio

29/07/2021 05h08

A brasileira Ana Sátila terminou sua participação nos Jogos Olímpicos de Tóquio com a 10ª colocação na categoria C1 da canoagem slalom. Após sua terceira participação em Jogos Olímpicos, a canoísta evitou comentar com detalhes sua possível presença nas Olimpíadas de Paris, em 2024, e falou sobre problemas que enfrentou durante na preparação para os Jogos de Tóquio.

"É tão difícil, passei por muita coisa para chegar até aqui, muita dificuldade. Três meses antes dos Jogos, eu não tinha um treinador, não tinha as coisas muito bem definidas na minha carreira ainda. Eu lutei todos os dias, dei o meu melhor cada dia", disse Ana Sátila em entrevista ao canal SporTV.

A brasileira, que agora detém a melhor participação nacional na canoagem slalom olímpica, deixou em aberto sua participação nos Jogos Olímpicos de Paris.

"Primeiramente, eu preciso rever tudo o que eu fiz para chegar até aqui. Se eu tiver um plano, um apoio legal para seguir em frente, um técnico que possa me ajudar de verdade, aí sim vou focar nessa temporada que é muito mais curta e focar para Paris", admitiu, acrescentando que é "muito difícil" ser a primeira atleta a desempenhar em alto nível em uma modalidade.

"Tem que passar por barreiras que não tem como descrever", disse. "O apoio do COB, da confederação, todos os meus patrocinadores, é muito importante para mim. Sei que, independentemente do meu resultado, vou voltar para casa, para os braços da minha mãe e do meu pai, e vou me sentir acolhida, ter o apoio deles, de qualquer forma", concluiu.

Aos 25 anos, Ana Sátila completou sua terceira participação em Jogos Olímpicos. Na Olimpíada de Londres, em 2012, ficou em 16º, parando nas semifinais. Na Rio-2016, um erro fez com que sua segunda participação terminasse em uma posição pior que a anterior (17º).