PUBLICIDADE
Topo

MMA


MMA

UFC: Tim Elliot acusa adversário de violência doméstica durante luta

Cartaz do duelo entre Elliot e Espinosa  - Reprodução
Cartaz do duelo entre Elliot e Espinosa Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

08/03/2021 20h22

Uma 'conversa' dentro do octógono roubou os holofotes no UFC 259, disputado na noite do último sábado (6), em Las Vegas. Antes da brasileira Amanda Nunes finalizar Megan Anderson no card principal, os americanos Tim Elliot e Jordan Espinosa se enfrentaram no card preliminar. Elliot acusou o adversário de violência doméstica enquanto aplicava um dos golpes.

Perto do final do segundo round da luta, Elliot levou Espinosa ao chão e começou uma conversa, captada pelos microfones posicionados ao lado do octógono. "Ouvi dizer que você sufocou uma garota em 2018. Você é um espancador de mulheres?", disse.

Espinosa rebateu. "Você não conhece a história toda". "Eu sei o suficiente", respondeu Elliot. Espinosa tentou encerrar a conversa. "Você não sabe p* nenhuma". Depois de três rounds, Elliot foi declarado o vencedor por decisão unânime dos jurados.

Após a luta, o empresário de Jordan Espinosa classificou as acusações como 'calúnias'. "Não comentaremos as acusações de Tim Elliot", disse. "É lamentável que um atleta que não tem informações sobre o caso calunie imprudentemente outro atleta sem nenhuma informação confiável além de uma mensagem. Isso abre um precedente perigoso, permitindo que esse tipo de comportamento chegue às manchetes. As palavras importam", finalizou.

Em sua coletiva, Elliot explicou que recebeu mensagens no Facebook de uma mulher com marcas no pescoço. Ela que alegava ter sido estrangulada por Espinosa. O lutador não identificou quem seria a suposta vítima.

MMA