Topo

MMA


Barão finaliza canadense no UFC e provoca campeão: "vou calar a sua boca"

Jorge Corrêa e José Ricardo Leite

Do UOL, em Barueri

21/12/2014 03h36Atualizada em 21/12/2014 05h08

Não foi tão fácil como muitos esperavam. Mas Renan Barão cumpriu na madrugada deste domingo no UFC Barueri a promessa de que fecharia 2014 com uma imagem melhor do que as frustrações das últimas lutas. O ex-campeão do peso galo venceu Mitch Gagnon por finalização após sofrer com a “amarração” do rival.

Logo depois, mostrou língua afiada e provocou o campeão TJ Dillashaw. "Só quero dizer uma coisa, quero meu cinturão de volta. O Mitch é um cara duro, falei que não era conhecido, mas vinha da boas vitórias. TJ, tenho dois presentes para você: minha mão esquerda e minha mão direita. Eu vou calar a sua boca, você está falando muita besteira”, declarou após a luta.

O lutador potiguar havia deixado impressão ruim nas duas últimas vezes em que foi escalado para atuar: em maio, perdeu seu cinturão para TJ Dillashaw ao ser nocauteado em uma atuação irreconhecível. Cerca de três meses depois, foi lhe concedida a revanche. Mas ela não aconteceu depois de um acidente na banheira enquanto tentava perder peso, um dia antes do combate.

Barão afirmou durante a semana que queria limpar a imagem com um triunfo que o recolocasse no caminho para ter futuramente uma nova chance de disputar o cinturão (TJ Dillashaw e Dominick Cruz duelarão pelo título em 2015). "Aquilo passou já, é uma página fora do livro. Sábado vocês vão ver uma total diferença no meu jogo de antes em relação ao de agora. Vou sair na mão mesmo pra dar um espetáculo pra todo mundo”, declarou nos treinos de quinta-feira.

A tendência é que o ex-campeão, atual número um do ranking dos galos, seja o próximo desafiante e enfrente o vencedor do embate entre os americanos. Resta saber se fará isso de maneira direta, ou se ainda terá que vencer mais um combate no primeiro semestre.

Barão falou e fez. Contra o perigoso Gagnon, que tinha 12 vitórias (11 por finalização) em 14 lutas, conseguiu ditar o ritmo desde os primeiros segundos e foi pouco ameaçado. Tinha apenas que se preocupar em fugir dos clinches e tentativas de Gagnon de buscar a luta agarrada.

Depois de muito estudo, o brasileiro achou o tempo do rival no final do primeiro round e acertou um forte cruzado de esquerda que derrubou o canadense. Gagnon se levantou rapidamente e evitou mais golpes. 

No segundo round, o lutador da América do Norte voltou a procurar o grappling e chegou a colocar Barão na grade, mas sem desferir golpes contundentes. Até que o árbitro decidiu tirar os dois lutadores da posição. Depois disso, os dois chegaram a trocar socos de maneira mais afoita. Mas Gagnon acabava por procurar jogar o brasileiro na grade.

O potiguar parecia cansado no terceiro round e perdeu o ímpeto agressivo. Ao contrário de seu tradicional estilo, até procurou levar o rival para a grade em alguns momentos. Vivia situação desconfortável no round decisivo, até conseguir uma queda quando faltavam dois minutos. Depois disso, os dois se embolaram, e Barão conseguiu encaixar um katagatame até o rival dar os três tapas de desistência na luta.

UFC BARUERI
Card principal 
Peso médio: Lyoto Machida venceu CB Dollaway por nocaute no 1º round
Peso galo: Renan Barão venceu Mitch Gagnon por finalização no 3º round
Peso meio-pesado: Patrick Cummins venceu Antônio Cara de Sapato por decisão unânime
Peso leve: Rashid Magomedov venceu Elias Silvério por nocaute técnico no 3º round
Peso meio-médio: Erik Silva venceu Mike Rhodes por finalização no 1º round
Peso médio: Daniel Sarafian venceu Antonio dos Santos por nocaute técnico (interrupção) no 2º round

Card preliminar 
Peso meio-pesado: Marcos Pezão venceu Igor Pokrajac por nocaute no 1º round
Peso pena: Renato Moicano venceu Tom Niinimaki por finalização no 2º round
Peso pena: Hacran Dias  venceu Darren Elkins por decisão unânime
Peso galo: Leandro Issa venceu Ulka Sasaki por finalização no 2º round
Peso meio-médio: Tim Means venceu Marcio Lyoto por decisão unânime
Peso médio: Vitor Miranda venceu Jake Collier por nocaute no 1º round

MMA