PUBLICIDADE
Topo

MMA


MMA

Tay Conti: a brasileira que trocou sonho olímpico pela luta livre nos EUA

Tay Conti é faixa preta de judô e agora se aventura no wrestling - Reprodução/Instagram
Tay Conti é faixa preta de judô e agora se aventura no wrestling Imagem: Reprodução/Instagram

Flavio Latif

Do UOL, em São Paulo (SP)

20/11/2020 04h00

Amanhã (21), o canal Space estreia em sua grande de programação o AEW (All Elite Wrestling), a partir das 23h (de Brasília). Uma das estrelas desse show é a brasileira Taynara Melo de Carvalho - ou, como ficou conhecida no esporte, Tay Conti.

Tay foi atleta durante toda sua vida, inclusive começou na ginástica artística do Vasco da Gama, antes de migrar para as artes marciais. Ela é faixa preta de judô e faixa azul no jiu-jitsu. Na arte marcial japonesa, se destacou após participar do 'Instituto Reação', do ex-judoca Flávio Canto, ela participou de algumas competições com equipe olímpica brasileira da modalidade, mas em 2016 desistiu do sonho de disputar uma Olimpíada para ingressar no wrestling.

"Foi uma oportunidade, nada foi planejado, fui atleta minha vida toda e em 2016 surgiu essa chance de migrar para o wrestling. Eu não sabia o que era. Comecei a pesquisar e vi que a oportunidade era muito boa. O meu sonho era estar na Olimpíada, e representar o meu país, mas coloquei na minha cabeça que estar no wrestling também era uma forma de representar o Brasil e aqui estou hoje", afirmou em entrevista ao UOL Esporte.

Com apenas 25 anos, ela é a representante do Brasil na AEW, mas antes disso ela a já se tornou em um 'símbolo': a primeira brasileira a assinar com o WWE — uma das principais empresas especializadas no esporte. Apesar de suas conquistas pessoais, Tay espera que em seu país o esporte possa ser reconhecido como é nos Estados Unidos.

Na opinião da lutadora, alguma pessoas têm certo preconceito com o wrestling por conta do 'telecatch' — programa de televisão criado na extinta TV Excelsior, dedicado à exibição de combates de luta-livre que combinavam encenação teatral. Porém, ela acredita que há espaço a ser conquistado pela modalidade e que pode dar certo no Brasil por um motivo: o brasileiro adora entretenimento e é a proposta do AEW.

"O primeiro passo a gente já deu, todo sábado as pessoas vão poder assistir a gente, espero que as pessoas possam dar uma oportunidade para o Wrestling e curtir essa história. É entretenimento, o brasileiro ama entretenimento, e tudo demanda tempo, paciência e trabalho duro. Com o tempo, vamos conquistar cada vez mais e no futuro vamos conseguir que o Wrestling seja reconhecido no Brasil, como é nos Estados Unidos", disse.

Há quatro anos morando fora, Tay revelou que sonha em voltar ao seu país para criar projetos sociais como o de Flávio Canto, onde ela 'cresceu'. Porém, ela ainda quer dar continuidade ao seu projeto nos Estados Unidos como wrestler e representando o Brasil.

"Eu pretendo voltar para um dia, mas não para morar. Eu tenho o objeto de representar o meu país em outros lugares, sempre viajei muito para isso. Minha missão é estar fora do país, representando meu país. Eu vi de perto o Instituo Reação, do Flávio Canto, e acabei me apaixonando pela ação social e tudo isso. Eu tenho um sonho de ter um projeto social no futuro. Obviamente não vou poder agregar muito de longe, mas quero fazer acontecer", concluiu.

Na nova atração do canal Space, Tay enfrentará a norte-americana Red Velvet neste sábado.

MMA