PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Troca de ofensas entre Bárbara e canoísta chega à CBF; confira o posicionamento da entidade

29/07/2021 00h09


A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) decidiu não se envolver na polêmica discussão entre a goleira Bárbara, da Seleção Brasileira olímpica, e a atleta paralímpica brasileira Andréa Pontes, nesta quarta-feira, via Instagram. Segundo a CBF, o bate-boca é de cunho pessoal e não entrará com medidas diante do ocorrido, apesar de alertar a arqueira sobre seus posicionamentos. A informação é do 'O Globo'.
+ Veja a posição do Brasil no grupo feminino do futebol olímpico

Nos bastidores da entidade, Bárbara é vista como uma goleira com tendência a apresentar problemas relacionados à web. Aos 33 anos, a atleta é de difícil orientação digital em momentos de competição. A 'treta' ocorreu às vésperas do confronto decisivo contra o Canadá pelas quartas de final da Olimpíada.

Contudo, a CBF também não a protegeu no ataque preconceituoso por um jornalista holandês. Ao falhar no gol de empate com a Holanda, ainda pela fase de grupos, Bárbara foi chamada de "porca de suéter" durante a transmissão. A entidade se silenciou diante do caso.

- Essa goleira está acima do peso, não? É uma porca com um suéter. É uma zombaria total para a seleção brasileira. Ela realmente não defendeu uma bola decente - disse Johan Derksen.

ENTENDA O BATE-BOCA ENTRE BÁRBARA E ANDRÉA PONTES
A discussão começou quando Andréa, representante do Brasil na Paracanoagem, opinou que a goleira brasileira Babi Arenhart, do handebol feminino, deveria ocupar a vaga de Bárbara no futebol. Titular com Pia Sundhage, ela vem sofrendo com críticas por erros na Olimpíada.

- Galera, uma sugestão: põe a Babi Arenhart - goleira do handebol - no lugar da Bárbara e está tudo resolvido. Brasil campeão! - opinou Andrea Pontes no Instagram. Bárbara então respondeu.

- Por que não vem você no meu lugar? Já já começa a sua competição, será que você tem competência para chegar a menos a conhecer? Tem competência de ir a quatro Paralimpíadas? Porque cada um com suas limitações, né? Vai treinando aí que, assim como eu treino para c..., você vai precisar para tentar estar ao menos em uma Paralimpíada.

A discussão não parou por ai. Internautas viram falas preconceituosas em ambas argumentações.

Futebol