PUBLICIDADE
Topo
Comprar ingresso
Comprar ingresso

Andrés não vê perigo na volta do Paulistão por conta de protocolos de saúde

Andrés Sánchez, presidente do Corinthians, em coletiva no CT Joaquim Grava - Daniel Vorley/AGIF
Andrés Sánchez, presidente do Corinthians, em coletiva no CT Joaquim Grava Imagem: Daniel Vorley/AGIF

08/07/2020 18h56

Classificação e Jogos

O governo do estado de São Paulo, hoje, liberou a volta do Campeonato Paulista para o dia 22 de julho, após anúncio do governador João Doria, seguindo protocolo dos clubes e da FPF.

Com a data definida, o presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, comentou a decisão e disse crer que não haverá perigo para a saúde. Além disso, ele afirmou que essa é uma demonstração de que há a intenção de cumprir todo o calendário brasileiro.

Em entrevista para a CNN Brasil, na tarde de hoje, Andrés chances explicou como serão os procedimentos para o retorno e as razões pelas quais ele tem a segurança de que tudo está sendo feito para evitar o contágio.

"Todos os protocolos estão sendo seguidos, cada 14 dias jogador é testado e quando voltar o campeonato, dois dias antes dos jogos todos serão testados também. Então não haverá perigo, porque o que está sendo feito no futebol, teria que ser feito no país todo, mas infelizmente nem todos têm essa oportunidade", declarou o mandatário corintiano.

Andrés também fez questão de dizer que os clubes paulistas não fizeram pressão para que o campeonato ou os treinos voltassem, e que isso só aconteceu quando houve a reabertura dos shoppings e do comércio de rua.

"Talvez pela primeira vez em São Paulo, nós nos unimos todos, decidimos voltar todos no mesmo dia, no mesmo tempo, e não pressionamos nada o governo do estado e as autoridades para voltar pelo menos aos treinos durante os últimos 30, 40 ou 50 dias, mas a partir do momento que foi liberado shopping, liberado comércio de rua, é óbvio que o futebol entrou com seus protocolos, porque são trinta jogadores treinando em céu aberto, todos testados, com dois ou três médicos na beira do campo, com ambulância, com toda a segurança que infelizmente nem todo cidadão brasileiro tem. Aí sim nós fizemos pressão para voltarem os treinos, agora pusemos os protocolos para a volta dos jogos, para retomar o campeonato no dia 22."

Com o calendário atual, é possível que a decisão do Paulistão coincida com a data prevista para o início do Brasileirão (8 e 9 de agosto). Sobre isso, Andrés diz que faz parte da intenção dos clubes de cumprirem tudo o que foi vendido e acordado anteriormente, nem que os jogos previstos para 2020 avancem para o ano de 2021, caberá a todos se adaptarem e fazerem um esforço maior.

"O Campeonato Paulista o ideal seria começar e terminar antes do Campeonato Brasileiro, mas como as datas já estão sobrecarregadas para o calendário deste ano, é óbvio que voltando no dia 22, nós talvez tenhamos as finais coincidindo com o início do Brasileiro. Aí vamos ter que nos adaptar e fazer um esforço maior para completar todos os campeonatos. O importante é que o futebol quer entregar tudo aquilo que foi vendido, ou seja, o Paulista por inteiro, o Brasileiro por inteiro e a Copa do Brasil por inteiro", disse.

"Nós já decidimos que vamos cumprir tudo, nem que tenha que invadir o calendário brasileiro em janeiro e fevereiro do ano que vem, então os clubes têm ciência disso, rebaixamento, acesso, tudo o que foi combinado será cumprido, se não, o futebol, que já tem um descrédito um pouco grande, vai ficar pior ainda", completou Andrés.

O primeiro jogo do Corinthians na volta do Paulistão será contra o Palmeiras, na Arena, pela 11ª Rodada da competição estadual. Conforme o protocolo, a partida será realizada com portões fechados. Antes da paralisação o time de Tiago Nunes vivia situação delicada no campeonato, com risco de eliminação e de rebaixamento. Após o clássico, ainda haverá uma rodada da fase de grupos.

Corinthians