PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Goleiro do Avaí explica golpe em torcedor do Figueirense e chute no rosto

Bruno Silva, do Avaí, agride torcedor do Figueirense com um chute e atinge goleiro Glédson - Reprodução/Premiere
Bruno Silva, do Avaí, agride torcedor do Figueirense com um chute e atinge goleiro Glédson Imagem: Reprodução/Premiere

03/02/2020 14h38

O clássico Figueirense e Avaí, disputado na tarde do último domingo, manchou a 5ª rodada do Campeonato Catarinense. A torcida do Figueira acusou o volante Bruno Silva de provocação ao ser substituído e dois fãs do Furacão invadiram o gramado do Orlando Scarpelli para tentar agredir o atleta.

Assim que chegou ao banco de reservas do rival, o torcedor do Figueira foi imobilizado pelo goleiro Glédson. O problema foi que o arqueiro caiu com o invasor no gramado e acabou agredido pelo companheiro Bruno Silva, que acertou um chute sem intenção em seu rosto.

Nesta segunda-feira, o jogador do Avaí se manifestou através do Instagram, mostrou o rosto vermelho e deu a sua versão sobre o acontecimento.

"O objetivo maior era contê-lo e imobilizar ele para que não houvesse agressão de ambas as partes", escreveu. "Realmente foi um chute muito forte, meu rosto está vermelho, meu pescoço com um pouco de torcicolo, mas graças a Deus estou bem, meus companheiros também. E o torcedor também. Que tenhamos mais paz no coração, que evitem a violência."

Consequências

Devido a toda confusão dentro do Orlando Scarpelli, a expectativa é que o Figueirense seja denunciado no TJD-SC e perca mando de campo. Caso a pena seja pesada, o time Alvinegro pode ficar 10 jogos sem atuar com a torcida a seu favor.

Agradeço as inúmeras mgns parabenizando pela atitude, de só conter o torcedor.

Uma publicação compartilhada por Gledson Ribeiro (@gledsonribeiro83) em

Futebol