PUBLICIDADE
Topo

Santos

Felipe Jonatan diz viver sonho: 'Não imaginei jogar no time de Pelé'

Ivan Storti/Santos FC
Imagem: Ivan Storti/Santos FC

20/12/2019 07h00

O lateral-esquerdo Felipe Jonatan teve um ano de evolução e aprendizado no Santos. Com o técnico Jorge Sampaoli, o atleta foi uma espécie de polivalente, atuando em todas as áreas do campo e convocado até para a Seleção Olímpica.

Mesmo com tantas lembranças de 2019, o defensor do Santos não hesitou ao escolher a sua estreia como o momento marcante da temporada. Na ocasião, o Peixe venceu o Oeste, por 3 a 2, e Felipe Jonatan pôde 'tirar' o frio que estava em sua barriga. Isto porque o jogador já estava apalavrado com o Alvinegro, mas a diretoria demorou algumas semanas para realizar o pagamento de R$ 6 milhões ao Ceará.

Antes de entrar em campo, Felipe Jonatan relembrou que era difícil imaginar em jogar no 'time de Pelé e Neymar'. Em 2018, o atleta ganhava um salário mínimo e salvava o Ceará do rebaixamento do Campeonato Brasileiro.

- Meu jogo mais marcante foi contra o Oeste, foi minha estreia pelo Santos. Quando eu pisei em campo, não imaginei que estaria no time de Pelé, Neymar, entre outros... Este jogo foi bem marcante - falou o camisa 36 do Peixe.

- Fiquei bem ansioso, é um time diferente, sempre busca por título, tricampeão da América, bicampeão mundial. Passa um filme na cabeça por tudo que eu vivi no futebol. Estou encerrando meu segundo ano como profissional, mas já vivi muitas coisas no futebol. No ano passado eu estava quase caindo com o Ceará e hoje eu sou vice-campeão do Brasileiro. Frio na barriga, já conhecia alguns companheiros caso de jogar contra ou até jogar junto como foi com o Everson - acrescentou.

Agora o frio na barriga voltará pela disputa da Copa Libertadores, a primeira de Felipe Jonatan. Na fase de grupos, o Santos enfrentará o Olímpia-PAR, o Delfín-EQU e o Defensa y Justicia-ARG.

- É um campeonato bem disputado, não tem equipe fraca, não tem jogo fácil. Temos de estar bem atento nas partidas. A gente provou durante o Brasileiro que é uma equipe qualificada. Tem de focar - contou o lateral-esquerdo.

O camisa 36 do Santos acredita que a equipe deve ter um bom plantel para chegar longe no torneio continental, além de ter mais calma em jogos cruciais.

- Eu vejo como plantel, o Santos vem fazendo bons campeonatos, vem sempre chegando em segundo, terceiro colocado. O título tem batido na trave, mas temos de ter mais tranquilidade. Sei que a diretoria vai fazer o papel dela fora de campo e nós vamos fazer nosso papel dentro dele - concluiu.

Santos