PUBLICIDADE
Topo

São Paulo

Sem pilares da zaga, Crespo vive impasse sobre manter ou mudar esquema

redacao@gazetaesportiva.com (Redação)

16/06/2021 06h00

Classificação e Jogos

O técnico Hernán Crespo vive um impasse para escalar o São Paulo para o confronto com a Chapecoense, nesta quarta-feira, no Morumbi. Sem dois pilares na zaga, Arboleda e Miranda, o comandante argentino precisa se decidir entre manter o esquema com três defensores, dando oportunidade a algum garoto do elenco, ou jogar com uma primeira linha formada por quatro atletas.

O esquema com três zagueiros deu certo nos primeiros meses da temporada. Com pouco tempo de trabalho, Crespo conseguiu entrar para a história do São Paulo acabando com uma fila de mais de oito anos. Porém, com as adversidades que apareceram nas últimas semanas, como lesões e convocações, uma possível variação tática surgiu no radar do técnico tricolor.

Miranda sofreu um estiramento na região posterior da coxa esquerda ainda no primeiro tempo do duelo com o Atlético-MG, no último domingo. Arboleda, por sua vez, foi convocado para defender a seleção equatoriana na Copa América.

Desta forma, Diego Costa, Rodrigo ou Lucas Beraldo, todos jovens revelados em Cotia, são as opções para compor o trio de zaga, já que Bruno Alves vem ocupando a vaga deixada por Arboleda e Léo vem atuando regularmente como o zagueiro mais à esquerda. Caso prefira apostar em jogadores mais maduros, Crespo terá de mudar o esquema tático para uma linha defensiva com quatro atletas.

Contra o Galo, o técnico do São Paulo já fez isso. Após a lesão de Miranda, Crespo preferiu acionar Igor Vinícius, adiantando o atacante Emiliano Rigoni, que vinha sendo improvisado na lateral direita. Desta forma, o Tricolor passou a jogar no 4-3-3, mas a variação não surtiu efeito.

Nesta quarta, contra a defesa mais frágil deste início de Campeonato Brasileiro, o São Paulo tenta buscar seu primeiro gol e sua primeira vitória na competição. Jogando no Morumbi, não poderia haver ocasião melhor para Crespo e seus comandados reagirem.

São Paulo