PUBLICIDADE
Topo

Corinthians

Auxiliar diz compreender vaias após empate 'frustrante' do Corinthians

Torcida do Corinthians durante o jogo contra o Always Ready, pela Libertadores - Ettore Chiereguini/AGIF
Torcida do Corinthians durante o jogo contra o Always Ready, pela Libertadores Imagem: Ettore Chiereguini/AGIF

Yago Rudá

Do UOL, em São Paulo

26/05/2022 23h58

Classificação e Jogos

Braço-direito do técnico Vítor Pereira, o auxiliar Filipe Almeida encarou com naturalidade as vaias da torcida do Corinthians após o empate, em 1 a 1, com o Always Ready na noite de hoje (26). O português explicou a tática escolhida pela comissão técnica na escalação de uma equipe mista e saiu em defesa do zagueiro Robson Bambu — responsável pela falha que gerou o gol boliviano no confronto.

"Temos que compreender, não é o resultado que queríamos. Compreendemos a insatisfação, estamos tristes porque não é o que queríamos. Nossa cultura é de ganhar todo jogo, hoje não conseguimos e estamos todos frustrados. Temos que entender, respeitar, mas nossa resposta foi dar o máximo. No domingo temos outro compromisso e vamos para ganhar", explicou Filipe Almeida, que substituiu o suspenso Vítor Pereira.

Questionado sobre a manutenção do rodízio e a escalação mista, poupando nomes importantes do elenco em um jogo da Copa Libertadores, o auxiliar confessou que o planejamento da comissão técnica era dar descanso aos atletas mais experientes pensando no jogo de domingo (29), contra o América-MG, pelo Campeonato Brasileiro.

"De fato, tínhamos um planejamento estratégico. Penso que na primeira parte conseguimos, dentro daquilo que estava planejado, ter o controle do jogo. Tivemos a oportunidade de fazermos mais um ou dois gols. Infelizmente, cometemos um erro. Um erro que assumimos todos. O erro favoreceu ao adversário, a equipe tentou e buscou o resultado, tivemos oportunidades para conseguir o gol, não estamos satisfeitos. Nosso objetivo era ganhar e ficar em primeiro no grupo. Não conseguimos, mas o plano de jogo era recuperar alguns dos nossos jogadores. Poderíamos ter feito mais um gol, não estamos satisfeitos", pontuou.

Com o resultado, o Corinthians terminou a fase de grupos da Copa Libertadores com nove pontos ganhos e ficou na segunda colocação do Grupo E, um ponto atrás do líder Boca Juniors. Amanhã (27), a partir das 13h (de Brasília), a Conmebol realiza o sorteio dos confrontos das oitavas de final. Pela frente, o Alvinegro encara um dos primeiros colocados: Palmeiras, Atlético-MG, Flamengo, Boca Juniors, River Plate, Estudiantes, Colón e Libertad.

Também amanhã, depois do sorteio, o técnico Vítor Pereira atende a imprensa no CT Joaquim Grava.

Veja outros trechos da coletiva de imprensa de Filipe Almeida:

Sobre manutenção do rodízio para a sequência da temporada

"A equipe tem mostrado consistência. A primeira parte foi bem jogada, a segunda fizemos as alterações em busca do gol. Estamos preparando a equipe para um momento de eliminação. Os adversários serão mais fortes, a equipe estará à altura para passar em frente. O nosso objetivo era passar de fase, o grupo era equilibrado, e conseguimos nosso objetivo. O nosso objetivo principal era a primeira colocação, mas agora é seguir passo a passo".

O entrosamento é o ideal?

"Temos consciência de que se jogarem mais um com o outro terão um entrosamento melhor, mas olhe o calendário: é impossível. A equipe está avançando e escolhemos sempre os melhores para entrar. Se o calendário nos permitisse, alguns jogadores entrariam mais. Buscamos sempre a melhor equipe para cada jogo".

Entrada de Róger Guedes no segundo tempo

"O Róger treinou bem, ficou disponível para nos ajudar, entendemos que a equipe que deveria iniciar era outra. No decorrer do jogo, entendemos que era o momento para ele entrar e ele entrou. A relação entre nós é saudável e mais esclarecimentos específicos sobre o tema serão dados pelo Vítor na coletiva de amanhã".

Desempenho fraco do ataque na fase de grupos da Copa Libertadores

"O nível do grupo foi bastante equilibrado. No jogo de hoje, apenas no segundo tempo, foram seis ou sete oportunidades claras de gol. Temos consciência disso, temos trabalhado a definição no último terço e, com o tempo, vamos conseguir marcar mais gols. Temos sido consistentes, um dos nossos objetivos primários é não sofrer. Preferimos ganhar por muitos gols, mas se não conseguirmos está tudo bem vencermos por menos".

Corinthians