PUBLICIDADE
Topo

Libertadores - 2022

Flamengo bate U. Católica, vai às oitavas da Libertadores e alivia pressão

Arão, volante do Flamengo, comemora gol contra a Universidad Católica, pela Libertadores - Gilvan de Souza / Flamengo
Arão, volante do Flamengo, comemora gol contra a Universidad Católica, pela Libertadores Imagem: Gilvan de Souza / Flamengo

Letícia Marques e Alexandre Araújo

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

17/05/2022 23h24

Classificação e Jogos

O Flamengo está nas oitavas de final da Copa Libertadores. Na noite de hoje (17), no Maracanã, o Rubro-Negro venceu a Universidad Católica-HI por 3 a 0, e garantiu a vaga na próxima fase de forma antecipada. O triunfo foi construído com gols de Arão, Everton Ribeiro e Pedro. A boa atuação acontece em meio aos protestos contra a diretoria. Os jogadores comemoram os seus gols com o técnico Paulo Sousa, que também vem sendo alvo de críticas da torcida.

Com o resultado positivo, a equipe da Gávea chegou a 13 pontos e garantiu a primeira colocação do Grupo H, enquanto a Universidad Católica permanece com quatro e não tem mais chance de avançar às oitavas. A segunda vaga da chave ficou com o argentino do Talleres, que empatou sem gols com o Sporting Cristal, em Lima (PER), e chegou aos oito pontos — Católica e Cristal brigam pela vaga na Sul-Americana.

Na última rodada da fase de grupos, o Fla encara o Sporting Cristal, na terça-feira que vem (dia 24), novamente no Maracanã. A Universidad Católica enfrenta o Talleres, da Argentina, em casa. Antes, no entanto, o Rubro-Negro tem compromisso pelo Brasileirão. O time carioca enfrenta no sábado (21) o Goiás, em casa

Acompanhe a live do Flamengo

Quem foi bem - Bruno Henrique

O atacante teve boa movimentação e foi um dos mais participativos do setor ofensivo, dando trabalho à defesa adversária. Dos pés dele, saíram jogadas perigosas, além de ter dado a assistência para o gol de Everton Ribeiro — a quinta dele na Libertadores.

Quem foi mal - Gabigol

O camisa 9 se movimentou e achou espaços, mas não esteve em sua melhor noite, e desperdiçou oportunidades importantes.

Vaiado

O goleiro Hugo foi vaiado desde o momento em que o seu nome foi anunciado na escalação pelo sistema de som do Maracanã. A crítica da torcida se deu, principalmente, após a falha no empate em 2 a 2 com o Ceará, pelo Brasileiro. Durante o primeiro tempo, o jovem recebeu vaias a cada toque na bola e, ao fim da primeira etapa, um erro na saída do gol fez o tom aumentar.

Volta ao Maracanã

O Flamengo voltou ao Maracanã nesta noite. O estádio esteve fechado recentemente para o plantio de grama de inverno, o que fez o time rubro-negro mandar os jogos em outros locais, como no Mané Garrincha, em Brasília, e no Raulino de Oliveira, em Volta Redonda.

Protestos

Antes de a bola rolar, faixas e gritos de protestos puderam ser vistas e ouvidos no Maracanã. Os alvos principais foram o presidente Rodolfo Landim e o vice-presidente de futebol Marcos Braz. Uma outra faixa com o dizer "Conmebol racista" também pôde ser vista, além de cartazes pedindo a saída do técnico Paulo Sousa.

Contra Univ. Católica, pela Libertadores, torcida do Flamengo protesta contra diretoria - Jorge Rodrigues/AGIF - Jorge Rodrigues/AGIF
Imagem: Jorge Rodrigues/AGIF

Desempenho do Flamengo

A equipe de Paulo Sousa fez um primeiro tempo sólido e consistente. Com o apoio da torcida, o Rubro-Negro controlou o jogo e dominou a Católica nos 45 minutos iniciais. Destaques para os autores dos dois primeiros gols: Everton Ribeiro, que circulou o campo, ocupando espaços em todos os setores, e Willian Arão, que se apresentou intenso na marcação.

Na etapa final, o Flamengo se apresentou mais abaixo e diminuiu o ritmo, dando um pouco mais de campo ao adversário. Mas, ainda assim, o time da Gávea manteve o controle da partida. Enquanto a Católica avançada em busca do gol, o Rubro-Negro se aproveitava dos espaços. Pedro entrou no segundo tempo e movimentou a partida e, após duas chances, marcou o terceiro gol do Fla.

Desempenho da U. Católica

A Universidad Católica tentou atuar "de igual para igual" e pressionar o Fla no início do jogo, mas, apesar da posse de bola nos primeiros minutos, logo se mostrou dominada pelo adversário e com bastante dificuldade em criar oportunidades. Além disso, mas investidas ao ataque, acabava deixado espaço para que o Rubro-Negro pudesse contra-atacar.

Na volta do intervalo, os chilenos fizeram mudanças e tentaram uma presença maior no campo de ataque, e até conseguiram. Porém, mesmo com os visitantes tendo a posse de bola, logo o Fla passou a pressionar, ganhar o meio e aproveitar as brechas para criar chances. Assim, o Rubro-Negro chegou ao terceiro.

Cronologia

Mas já?

O começo do jogo foi nervoso do time rubro-negro e, logo nos primeiros minutos, Andreas Pereira e Matheuzinho foram advertidos com cartão amarelo

Perdeu

Assim como as punições da arbitragem aconteceram cedo, a primeira chance clara também. Gabigol recebeu em velocidade, nas costas da defesa, e saiu na cara de Pérez e tentou deslocá-lo, mas mandou em cima do goleiro.

Placar aberto

Apenas dois minutos depois da chance perdida, a comemoração. Em cobrança de escanteio de Arrascaeta, Arão, de cabeça, mandou para a rede.

Fla dominante e apoio

Com o Flamengo dominando o primeiro tempo e criando chances, os gritos, que antes eram de protesto, passaram a ser de apoio. A torcida passou a fazer uma bonita festa na arquibancada para empurrar o time.

Mais um

Os comandados de Paulo Sousa ampliaram a vantagem com quando a etapa inicial entrava na reta final. Em boa jogada, Arrascaeta acionou Matheuzinho, que cruzou para Bruno Henrique. O atacante cabeceou para a área e Everton Ribeiro completou de peixinho.

Na trave

Nos minutos finais, um susto. Após cruzamento de Gutiérrez para a pequena área, Hugo ficou no meio do caminho, a bola passou e Valencia desviou, mandando a bola no travessão.

Outra cara

Em um espírito quase que de "tudo ou nada", os chilenos voltaram com mudanças após o intervalo e conseguiram ter a posse e presença no campo de ataque. O Fla dava mais campo ao adversário e buscava tomar a bola no meio para pegar a zaga da Católica desorganizada.

Chances

Os donos da casa desperdiçaram novas oportunidades, sendo as mais claras, talvez, com Gabigol e Arrascaeta. Uma outra boa chance teve participação de Pedro e Lázaro, que entraram no segundo tempo. Após passe do centroavante, Lázaro chutou e a bola explodiu na zaga.

Para fora

Já quase no fim, Everton Ribeiro foi esperto, roubou a bola e rolou para Arrascaeta. O uruguaio, na área, passou por um adversário e bateu, mas mandou para fora.

Defesa de Pérez

Pouco depois, nova oportunidade. Pedro, sozinho na área, bateu forte e Pérez evitou.

Bonito gol

Quando o jogo caminhava para o apito final, Pedro recebeu, driblou Asta-Buruaga duas vezes e bateu no ângulo, fazendo um bonito gol e dando números finais ao duelo.

Técnico fora

O técnico Ariel Holan, ex-Santos, não comandou a Universidad Católica na partida por ter testado positivo para covid-19. Rodrigo Valenzuela foi quem esteve à beira do gramado.

Camisa nova

O Flamengo estreou uma nova camisa utilizada pelos goleiros.

FICHA TÉCNICA:

FLAMENGO 3 x 0 UNIVERSIDAD CATÓLICA
Competição: Copa Libertadores - Quinta rodada do Grupo H
Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Dia: 17 de maio de 2022, terça-feira
Horário: 21h30 (horário de Brasília)
Árbitro: John Ospina (COL)
Assistentes: Dionisio Ruiz (COL) e Richard Ortiz (COL)
Cartões amarelos: Andreas Pereira, Matheuzinho e Arão (FLA); Astudillo, Felipe Gutiérrez e Tapia (UCA)
Gols Arão (FLA), aos 6'/1ºT; Everton Ribeiro (FLA), aos 39'/1ºT, e Pedro (FLA), aos 45'/2ºT

FLAMENGO: Hugo Souza, Matheuzinho (Rodinei), Rodrigo Caio, Pablo e Ayrton Lucas; Willian Arão, Andreas Pereira (João Gomes), Everton Ribeiro e Arrascaeta (Victor Hugo); Bruno Henrique (Lázaro) e Gabriel (Pedro). Técnico: Paulo Sousa

UNIVERSIDAD CATÓLICA: Sebastián Pérez; Asta-Buruaga, Nehuén Paz (Tapia) e Parot; Astudillo (Rebolledo), Saavedra, Cuevas, Fuenzalida e Felipe Gutiérrez; Valencia e Zampedri. Técnico: Rodrigo Valenzuela