PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Liderança dividida: Taison celebra nova aliança com D'Alessandro no Inter

Para Taison (esq), D"Alessandro é exemplo a ser seguido no Inter - Ricardo Duarte/Inter
Para Taison (esq), D'Alessandro é exemplo a ser seguido no Inter Imagem: Ricardo Duarte/Inter

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

25/01/2022 04h00

Classificação e Jogos

Taison carregou, praticamente sozinho, um peso muito grande em 2021. Foi o líder do grupo do Inter. Além de expoente técnico e capitão do time, era ele o responsável por se manifestar nos momentos mais difíceis e defender a unidade dos jogadores na claudicante campanha. A chegada de D'Alessandro, porém, muda o cenário. Acostumado a ter a "chave do vestiário" do Beira-Rio, o gringo firma aliança com seu velho amigo e divide o posto no leme para guiar o Colorado de volta aos títulos.

Não foram poucas vezes que sobrou para Taison explicar os infortúnios do Inter. Após a eliminação na Libertadores, ouvindo críticas da torcida na conclusão do Brasileiro, ele sempre assumiu a responsabilidade e tomou a frente pelo grupo.

  • De segunda a sexta, às 17h, o Canal UOL traz, ao vivo, as últimas informações do mercado da bola. Inscreva-se no YouTube de UOL Esporte e confira também as lives dos clubes, Posse de Bola e UOL News Esporte:

Ele mesmo não esconde que tal conduta foi aprendida com D'Alessandro na parceria que firmaram no início da carreira de Taison. Desde então, eles têm uma ligação muito forte, refeita neste ano.

"A volta do Andrés [D'Alessandro] é algo que me deixa muito feliz. Quando vejo ele chegando, parece que estou revivendo 2008, quando nos conhecemos e nos tornamos amigos. Ele no vestiário é uma força a mais que ganhamos. Dentro de campo também. Precisamos dessa experiência. Temos que tê-lo como exemplo, e falo isso para os mais jovens. É um cara que se doa, que corre, parece que tem a mesma idade que tinha quando a gente se conheceu", explicou Taison.

D'Alessandro sabe que tem de dividir com Taison a responsabilidade no Inter. Antes de deixar o clube e atuar pelo Nacional-URU, o argentino era — independentemente se titular ou não — sempre o representante do elenco nos mais diversos momentos. Principalmente de dificuldades.

"Ter o D'Alessandro no vestiário é uma força a mais para mim. Ano passado foi um ano difícil, não vou mentir, para nós, colorados. O torcedor, os jogadores, foi um ano complicado para a gente. Ficamos fora da Libertadores, que era uma competição que queríamos disputar. Agora temos que pegar o ano passado como exemplo para não se repetir", contou Taison.

É essa divisão de lideranças que poderá aliviar o ambiente e recolocar o Colorado no caminho certo. Aumentando, até, o rendimento dos jogadores em campo.

"Um grupo não se faz com um, dois ou três líderes. Temos que ter mais, formar um grupo pesado e muito forte no dia a dia. Temos que ser exemplos para os mais jovens. Quero muito isso, ajudar a todos. Com o D'Ale chegando, as coisas ficam melhores. É um cara experiente, que conhece tudo do futebol, o que aconteceu aqui. Ganho mais força para estarmos brigando juntos defendendo o Inter, que é o mais importante", completou.

O primeiro jogo do Colorado na temporada será nesta quarta-feira (26), às 16h (de Brasília), contra o Juventude.

Internacional