PUBLICIDADE
Topo

Fluminense

O que fez o Fluminense acertar com o goleiro Fábio, ex-Cruzeiro

Alexandre Araújo e Victor Martins

Do UOL, no Rio de Janeiro e Belo Horizonte

20/01/2022 04h00Atualizada em 20/01/2022 13h28

Após sete reforços anunciados nesta janela de transferência, o Fluminense parecia satisfeito, mas surpreendeu ao acertar com o goleiro Fábio, que tinha negociações avançadas com o América-MG. Ídolo do Cruzeiro, ele foi visto pela diretoria tricolor como uma "oportunidade de mercado". A guinada ao Rio de Janeiro, inclusive, também teve a ver com a identificação com a Raposa.

Mesmo tendo sido um dos clubes mais ativos neste período entre as temporadas, o gol não parecia uma preocupação para o Flu, que já contava com Marcos Felipe e Muriel, e nem sequer houve nomes especulados para a posição.

Porém, alguns fatores pesaram na avaliação para caminhar com as tratativas com Fábio. Primeiramente, a visão da cúpula mudou e se passou a avaliar a necessidade de um goleiro "mais pronto". Em meio ao apertado calendário, há a possibilidade de Marcos Felipe ou Muriel se tornarem desfalques, cenário que colocaria o jovem Pedro Rangel como opção imediata no banco — ele fez poucas partidas pelo profissional, no Carioca do ano passado.

Livre no mercado desde a saída do Cruzeiro, no início deste ano, a transação não precisou envolver gastos imediatos. A experiência e o número de jogos nas últimas temporadas, apesar dos 41 anos, também foram debatidos e contribuíram para um aval positivo.

Fábio desembarcou no Rio de Janeiro na tarde de ontem (19), e afirmou que a chance de jogar no Fluminense foi uma "porta que se abriu" na noite de terça-feira, "de forma tão natural". Vale ressaltar que as negociações com o América-MG e Fluminense foram feitas em frentes distintas. Quem conversava com o clube mineiro, que tinha um acerto encaminhado, era o empresário Renê Salviano. Já quem levou o nome ao Tricolor foi Francis Melo, que é agente de Fred.

Além da proposta, pesou para o arqueiro também a identificação com o Cruzeiro e, por isso, a decisão de defender um clube fora de Minas Gerais. Vestir a camisa do Coelho poderia gerar um desgaste com os torcedores da Raposa.

Nas Laranjeiras, Fábio vai reencontrar nomes com quem já trabalhou anteriormente, como o técnico Abel Braga, e os atacantes Fred e Willian Bigode.

Esta será a segunda passagem do goleiro no futebol carioca. Entre 2000 e 2004 ele esteve no Vasco, tornando-se titular em 2002, após a saída de Helton.

Fábio deixou o Cruzeiro após 17 anos, ao não chegar a um acordo para renovação com a nova gestão do departamento de futebol, encabeçada por Ronaldo, que detém 90% da SAF. Na passagem mais recente pelo clube, foi, por exemplo, bicampeão do Brasileiro, em 2013 e 2014, e bicampeão da Copa do Brasil, em 2017 e 2018.

Nesta janela de transferências, além do técnico Abel Braga, o Tricolor já anunciou os acertos com o zagueiro David Duarte, os laterais Pineida e Cristiano, o volante Felipe Melo, o meia Nathan e os atacantes Wilian Bigode e Germán Cano.

Fluminense