PUBLICIDADE
Topo

Internacional

De olho na Copa, Inter protege volante da seleção dos EUA com novo contrato

Johnny, do Inter, em ação pela seleção dos Estados Unidos - Divulgação/USMNT
Johnny, do Inter, em ação pela seleção dos Estados Unidos Imagem: Divulgação/USMNT

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

20/01/2022 18h44

O Internacional tem mais um jogador com chances de disputar a Copa do Mundo deste ano. Não é apenas Edenilson e Wesley Moraes que sonham com espaço no Brasil, quem sabe Palacios pelo Chile ou se fechar com Brian Rodríguez, que imagina oportunidade no Uruguai. Mas Johnny. O volante de 20 anos está entre os jogadores chamados para observação do técnico Gregg Berhalter na seleção dos Estados Unidos.

Johnny não é nome, mas apelido de João Cardoso, que é natural de Denville, em Nova Jersey, mas veio para o Brasil ainda criança. Cria da base do Internacional, ele passou a ser parte do grupo principal entre 2019, quando estreou, e 2020, temporada em que fez 21 jogos e deu uma assistência.

Na temporada passada os números cresceram em Porto Alegre. Foram 32 jogos e dois gols marcados.

A participação pela seleção principal dos Estados Unidos é realidade desde 2020. Foram dois jogos, ambos entrando no decorrer das partidas, naquele ano. Esteve em campo por 19 minutos contra o País de Gales e 28 diante do Panamá, ambos em amistosos.

No fim do ano passado, ele foi titular no amistoso contra a Bósnia e Herzegovina, atuando por 63 minutos. Ao todo são duas vitórias e um empate vestindo a camisa dos Estados Unidos.

Johnny assina novo contrato com Inter acompanhado do pai, Sandro Cardoso, (esq) e do empresário, Luís Fernando Martins, (dir) - Divulgação/ML3 Football - Divulgação/ML3 Football
Imagem: Divulgação/ML3 Football

Entre os observados na seleção, Johnny tinha vínculo se encerrando junto com a disputa da Copa do Mundo. Seu contrato anterior com o Colorado ia apenas até o fim de 2022 e a Copa do Qatar será realizada no encerramento do ano. Pensando na possível participação no Mundial, o clube tratou de renovar o vínculo e valorizar o jogador com aumento de salário.

O contrato, oficializado na reapresentação do grupo de atletas, vai até o fim de 2024. O vínculo foi assinado na última terça-feira (18) e mantém a multa rescisória alta para clubes do exterior. Quem quiser levar o meio-campista do Colorado sem espaço para negociação precisará pagar 60 milhões de euros (R$ 368,6 milhões na cotação atual).

Além de proteger o jogador durante uma eventual Copa do Mundo, o Colorado está de olho numa possível participação nos Jogos Olímpicos de 2024. Johnny esteve com a seleção dos Estados Unidos na disputa do pré-Olímpico do ano passado e seguirá tendo idade olímpica para o próximo evento.

Nas Eliminatórias da Concacaf, a seleção dos EUA é vice-líder da disputa, com 15 pontos, um a menos que o líder Canadá. Neste momento, está na linha de classificação para a Copa e alimentando os sonhos de Johnny.

Internacional