PUBLICIDADE
Topo

Futebol

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Colunistas opinam: mercado da bola para 2022 está fraco demais?

Corinthians, por enquanto, anunciou oficialmente apenas a contratação de Paulinho - Reprodução/ Twitter
Corinthians, por enquanto, anunciou oficialmente apenas a contratação de Paulinho Imagem: Reprodução/ Twitter

Colaboração para o UOL, em Santos (SP)

10/01/2022 12h16

Os times brasileiros seguem buscando reforços para a temporada de 2022. Até aqui, quem mais se destacou foi o Fluminense, com contratações como Felipe Melo, Willian Bigode, Nathan e Cano. Outros times, porém, seguem o caminho inverso e ainda estão devagar no mercado da bola. O Flamengo, por exemplo, ainda não anunciou nenhum jogador, enquanto o Corinthians confirmou apenas o volante Paulinho.

Diante do atual cenário, acionamos os colunistas do UOL Esporte para responder à seguinte pergunta: o mercado da bola está fraco demais? Os jornalistas fizeram uma análise sobre o ritmo e a qualidade das contratações no futebol brasileiro para a nova temporada. Confira:

A gente critica quando clubes gastam mais do que têm, precisamos também louvar quando há alguma responsabilidade. Além disso, os mais ricos (Galo, Flamengo e Palmeiras) fizeram apenas movimentações pontuais. Acredito que ainda surjam algumas poucas contratações bombásticas, mas é melhor conter as expectativas. E isso não é necessariamente ruim.
ALICIA KLEIN

Mercado movimentado só é bom para nós, jornalistas, para gerar pautas em um período sem jogos. Para os times, o melhor cenário é clube estruturado, elenco definido, base forte alimentando os profissionais e contratações apenas pontuais. A melhor notícia é não ter notícias e comemorar os títulos mais importantes no final do ano.
ANDRÉ ROCHA

O ritmo parece devagar porque as três principais potencias financeiras do país (Atlético-MG, Flamengo e Palmeiras) ainda não se movimentaram muito. A explicação é fácil de dar: não precisam tanto, tirando uma peça ou outra - o Verdão, no entanto, até se mexeu mais do que era esperado. O Fluminense e o São Paulo estão bem ativos e animados, o Corinthians, que já garantiu o Paulinho, puxou para si os holofotes durante a reta final da temporada passada, entre outros. Com o desenrolar de negociações internacionais, seguramente o mercado nacional vai agitar.
BRUNO ANDRADE

Sim, mas não é necessariamente uma notícia ruim. Aos poucos (bem aos poucos) os clubes têm tido mais cuidado com as finanças. Achei que teríamos mais "trocas" (mesmo com troco), mas não aconteceu. O mercado de meio do ano do Fla em 2019 inspirou outros times a monitorarem "oportunidades". O Corinthians, ainda com contas a serem checadas até abril, fez algo interessante em 2000. A questão é que se perde o "planejamento" da temporada. Mas não se pode ter tudo? As exceções foram: Fluminense, São Paulo e Inter.
MARÍLIA RUIZ

Ainda acredito em contratações mais para a frente. Mas é certo que os clubes estão aprendendo que as receitas não permitem mais gastos exorbitantes.
MARLUCI MARTINS

O ritmo está suave. Os três mais ricos, Flamengo, Galo e Palmeiras, precisam apenas de ajustes. O Corinthians já fez seu mercado no semestre passado. São Paulo e Fluminense estão se reforçando bastante, o que merece aplausos. Lembremos que há gigantes na Série B, o que diminui a quantidade de dinheiro gasta.
MENON

Está dentro da nossa realidade. Claro, poderia haver mais ousadia, mas os cofres não permitem... O São Paulo parece ser aquele com mais apetite no momento, e isso se justifica pela temporada passada. Alguns times precisam de contratações pontuais, casos do Galo, Fla e Palmeiras. E o Corinthians tem que definir logo se vai trazer um atacante que cause impacto e resolva seu problema!
MILTON NEVES

Não vejo como muito fraco. Cada clube tem seu ritmo. São Paulo, Fluminense e Palmeiras, por exemplo, já conseguiram reforços interessantes.
PERRONE

Não acho que está fraco. Os clubes estão tomando mais cuidado para não contratar por atacado. E buscando jogadores que realmente possam acrescentar. A busca inicial também foi por jogadores sem contrato. É possível ainda, já que temos uma janela grande de transferências, que os clubes gastem dinheiro comprando jogadores.
RODOLFO RODRIGUES

Sim. Com exceção de Fluminense, Cuiabá e São Paulo, há pouco volume de contratações. Mas isso nem sempre é negativo. Há equipes que não precisam de tantos reforços, apenas ajustes pontuais. É necessário que se avalie cada caso. O Palmeiras, por exemplo, até agora só anunciou duas contratações, mas trouxe nomes certeiros para suas necessidades.
RODRIGO COUTINHO

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Futebol