PUBLICIDADE
Topo

André Rocha

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Rocha: Permanência de Nino é o maior reforço do Fluminense

Além do artilheiro Nenê, só Nino marcou duas vezes nos oito jogos de invencibilidade do Fluminense - Lucas Mercon/Fluminense FC
Além do artilheiro Nenê, só Nino marcou duas vezes nos oito jogos de invencibilidade do Fluminense Imagem: Lucas Mercon/Fluminense FC
Conteúdo exclusivo para assinantes
André Rocha

André Rocha é jornalista, carioca e colunista do UOL. Trabalhou também para Globoesporte.com, Lance, ESPN Brasil, Esporte Interativo e Editora Grande Área. Coautor dos livros "1981" e "É Tetra". Acredita que futebol é mais que um jogo, mas o que acontece no campo é o que pauta todo o resto. Contato: anunesrocha@gmail.com

Colunista do UOL Esporte

10/01/2022 09h00

Os jogadores do Fluminense se reapresentam para a pré-temporada no CT Carlos Castillo. Com Abel Braga novamente no comando técnico e elenco reforçado.

As novidades são o zagueiro David Duarte, os laterais Pineida e Cristiano, o volante Felipe Melo, o meia Nathan e os atacantes Willian Bigode e Gérman Cano. Para encorpar o grupo que novamente estará na Libertadores, mas desta vez disputando vaga na fase de grupos.

Enfrenta o Millonarios nos dias 22 de fevereiro e 1º de março. Por isso precisa queimar algumas etapas na preparação para estar competitivo em um nível mais alto, sem a relativa tranquilidade de buscar a evolução gradual nos jogos do Carioca.

O clube agiu rápido no mercado, também por não dispor de tanta capacidade de investimento para entrar em "leilões". As perspectivas são interessantes, apesar da incógnita sobre o trabalho de Abel, que foi mal na última passagem pelo Flu, em 2018, e não vem de bons trabalhos no Rio de Janeiro: Flamengo em 2019 e Vasco no ano seguinte. A arrancada com o Internacional vice-campeão brasileiro em 2020 é o contraponto para ser otimista.

No Fluminense há também a eterna esperança de repetir o sucesso de 1984 e 1995, montando times com menos recursos que os rivais, e dar "liga" rapidamente, entregando conquistas importantes.

A expectativa é alta com os novos nomes, mas a grande notícia é a permanência do zagueiro Nino. 24 anos, campeão olímpico, já adaptado e identificado com o clube. Tinha uma negociação bem encaminhada com o Tigres, por cinco milhões de dólares, mas a falta de acerto com o Criciúma, detentor de 40% dos direitos econômicos do atleta, inviabilizou o negócio.

É claro que os três milhões reforçariam o caixa de um clube com dificuldades financeiras. O ganho técnico, porém, é inquestionável. É o melhor zagueiro tricolor. Abel, inclusive, pode pensar em um sistema com três defensores, encaixando Nino com outros dois, que podem ser David Duarte, Luccas Claro, David Braz ou até Felipe Melo.

Mais importante que vislumbrar uma formação titular é observar que o elenco entregará opções ao velho/novo treinador. No início do trabalho, manter a base da última temporada, valorizando uma espinha dorsal com Marcos Felipe, Nino, André, Yago Felipe, Luiz Henrique e Fred será importante para a adaptação dos contratados.

O Fluminense tem tudo para ser outra vez o grande desafiante do tricampeão Flamengo no estadual. Mas agora há uma ladeira para subir na Libertadores e é preciso dar respostas rápidas em 2022.