PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Psicologia e gols: como Gabriel Silva voltou ao profissional do Palmeiras

Gabriel Silva finaliza para abrir o placar para o Palmeiras contra o Cuiabá - Cesar Greco/Palmeiras
Gabriel Silva finaliza para abrir o placar para o Palmeiras contra o Cuiabá Imagem: Cesar Greco/Palmeiras

Diego Iwata Lima

De São Paulo

02/12/2021 04h00

Classificação e Jogos

Autor do gol que abriu a vitória do Palmeiras sobre o Cuiabá, pelo Campeonato Brasileiro, por 3 a 1, na terça-feira (30), o atacante Gabriel Silva, 19, teve um 2021 de altos e baixos. Mas, ainda muito novo, não se abateu e conseguiu transformar o que poderia ser motivo de decepção em uma história de sucesso, com a ajuda da psicologia.

Lançado por Vanderlei Luxemburgo em agosto de 2020, ele fez 13 partidas no Brasileiro do ano passado —a maior parte delas já com Abel Ferreira. Atuou na Libertadores e na Copa do Brasil também.

Já em 2021, fez gol no Corinthians, pelo Paulista, e entrou em mais seis partidas da campanha. Mas foi devolvido ao sub-20 e lá ficou. No Campeonato Brasileiro profissional, estreou na competição apenas na terça-feira (30), já deixando um gol. O motivo para ter sumido do time de cima? Gabriel afirma saber:

"Eu ficava muito ansioso para fazer gol, para fazer rápido a jogada", contou ele em entrevista ao UOL Esporte. "Voltei para a base, e os treinadores vinham conversar comigo, para eu colocar a cabeça no lugar. Mas eu vim aproveitando as oportunidades no sub-20, fazendo gol, para quando aparecesse uma chance no profissional, eu poder aproveitar também", disse.

"Eu aprendi com os erros quando subi. Foi tudo muito rápido para mim. Mas quando eu desci, pensei em aproveitar o máximo possível, porque eu quero estar lá de volta. Jogar no profissional é a melhor coisa que tem", afirma ele.

Sessões semanais de terapia ajudaram

Para compreender melhor o que tinha de fazer, Gabriel, que está no Palmeiras desde 2015, procurou ajuda profissional e começou a fazer sessões semanais de terapia com uma psicóloga.

"Uma hora por semana, toda segunda-feira", explicou ele. "Falo de tudo com ela, me abro completamente, naturalmente", disse. A psicóloga escolhida se chama Solange, e acompanhava os jogadores do futsal do Palmeiras, de onde Gabriel saiu para o futebol de campo. "É legal demais, tenho muito que agradecer a ela", disse.

E já que estava de volta ao sub-20, restava a ele trabalhar. Gabriel foi o artilheiro máximo do time na temporada, com 23 gols em 25 jogos. Foi o goleador do Palmeiras no Campeonato Brasileiro Sub-20, com 16 gols marcados (recorde de gols em uma mesma edição do torneio desde 2015, quando passou a ser organizado pela CBF), e ainda deu oito assistências, liderando o quesito.

Gabriel gosta de desafios

Quando foi chamado para os profissionais em 2020, Gabriel não teve o apoio do seu então técnico Wesley Carvalho. O ex-comandante do Sub-20 alviverde acreditava que as coisas estavam acontecendo muito fácil para Gabriel, e que não iam funcionar, porque ele precisava ser desafiado.

"Ele tem razão, aconteceu muito rápido. Eu estava em casa [por causa da pandemia], fazendo os treinamentos e do nada surgiu essa ligação dizendo para eu retornar e me apresentar aos profissionais", conta. "Mas eu coloquei a cabeça no lugar", garante.

Gabriel já foi avisado de que tem mais dois compromissos nesta temporada, pelo Campeonato Brasileiro: Athletico-PR, na próxima segunda-feira (6) e Ceará, na quinta-feira (9).

"Tem mais dois jogos e depois o Paulista", diz ele, já projetando que os principais jogadores do elenco estarão completamente focados no Mundial de Clubes de 2021, entre 3 e 12 de fevereiro de 2022.

Futebol