PUBLICIDADE
Topo

Vasco

Protesto da torcida marca final de temporada agoniante do Vasco na Série B

Torcida do Vasco criticou demais o time no empate por 2 a 2 diante do Remo - MAGA JR/ESTADÃO CONTEÚDO
Torcida do Vasco criticou demais o time no empate por 2 a 2 diante do Remo Imagem: MAGA JR/ESTADÃO CONTEÚDO

Colaboração para o UOL, em São Paulo

20/11/2021 04h00

Classificação e Jogos

Apenas 1.024 torcedores foram ao estádio na despedida do Vasco de São Januário em 2021, ontem (19). O empate por 2 a 2 diante do Remo foi apenas o plano de fundo para que a torcida demonstrasse sua insatisfação com o atual elenco e com a permanência na Série B do Brasileiro.

Antes mesmo de a bola rolar, 'time sem vergonha' era o grito que ecoava das arquibancadas. O clube passou o torneio inteiro sem terminar uma rodada no G4, mas ficou flertando com o acesso durante boa parte da competição.

"A torcida já veio no aquecimento xingando. O Pec nem entrou e já estava sendo xingado. (...) É uma tristeza sem tamanho [ouvir as vaias]. O torcedor está no direito dele, não tem problema nenhum, Fizemos um ano ruim, triste", disse o técnico interino Fábio Cortez.

Ao final da 30ª rodada, com a vitória sobre o Coritiba, que já está garantido na elite nacional no próximo ano, em casa por 2 a 1, o Cruz-Maltino voltou ao sexto lugar. A distância para o Avaí era de quatro pontos, mas desde então, o Gigante da Colina conquistou apenas três no torneio.

Completando a série de sete partidas aem vencer, o clube apenas empatou três jogos, ambos por 2 a 2, contra Náutico (na 31ª rodada), Vila Nova (36ª) e agora com o Remo (37)ª. Nos outros compromissos, derrotas para CSA, Botafogo e Vitória, em casa, e diante do Guarani, fora.

O time de Campinas é um bom parâmetro para mostrar o péssimo fim de ano da equipe carioca. O Bugre também terminou a 30ª rodada com 46 pontos e, hoje, ocupa o quarto lugar da tabela, com 59, dependendo apenas das próprias forças para garantir o acesso.

A fase ruim faz com que apenas três jogadores sejam poupados no atual elenco. O atacante Cano, artilheiro do time no torneio com 11 gols, o meia Nenê, que chegou ao clube em setembro, aos 40 anos, e tem mostrado uma disposição acima da média, e o jovem lateral esquerdo Riquelme.

Leandro Castan, por outro lado, é o mais criticado. Capitão da equipe, o zagueiro se envolveu em polêmicas extracampo na temporada e virou um alvo fácil. "Ei, Castan, sai do Instagram", foi um dos cantos na noite da última sexta (19). Além disso, a torcida também chegou a pedir a expulsão do defensor ao juiz e disse que o Vasco não precisava dele em campo.

A situação era tão ruim, que a torcida até comemorou pediu para árbitro Rodrigo Batista Raposo expulsar uma série de jogadores, e ainda celebrou quando o juiz aplicou o cartão amarelo para Léo Matos, no segundo tempo.

Está evidente de quem muitos atletas não tem qualquer clima para seguir no Gigante da Colina na próxima temporada. O clube aguarda apenas a chegada de um novo diretor de futebol e um novo técnico para começar uma reformulação no plantel.

Distante da torcida, o Vasco termina sua agonia na Série B e, diante do Londrina, tem a última chance de passar uma imagem positiva ainda em 2021. No domingo (28), às 16h, o time visita o Londrina no Estádio do Café, pela 38ª rodada.

Vasco