PUBLICIDADE
Topo

Vasco

Interino justifica pouco espaço e pede apoio aos jogadores da base do Vasco

Auxiliar-técnico Fábio Cortez está como interino do Vasco nas últimas três rodadas da Série B - Rafael Ribeiro / Vasco
Auxiliar-técnico Fábio Cortez está como interino do Vasco nas últimas três rodadas da Série B Imagem: Rafael Ribeiro / Vasco

Colaboração para o UOL, em São Paulo

19/11/2021 22h11

Classificação e Jogos

Sem ter mais chance de subir ou de cair na Série B, o técnico interino Fábio Cortez foi muito questionado na coletiva por não ter dado mais espaço aos jogadores da base na reta final do torneio. Segundo o comandante, a opção aconteceu por causa da forte pressão que os torcedores fizeram durante toda a partida contra o Remo no empate por 2 a 2 hoje (19), em São Januário.

"A gente já sabia da insatisfação da torcida, que o momento é complicado. A gente precisa de um jogador para dar um suporte mais experiente, que não liga para vaia. A torcida já veio no aquecimento xingando. O Pec nem entrou e já estava sendo xingado. Resolvemos mesclar para dar oportunidade aos jovens. Com um jogo mais aberto, sabia que poderíamos ter um desempenho melhor do que no começo do jogo", contou.

Depois de ir para o intervalo perdendo por 2 a 1, o time melhorou na segunda etapa com as entradas de Pec e Caio Lopes e buscou o empate. Para o treinador, isso reflete a dedicação de todo elenco, apesar da fase ruim e das vaias dos torcedores.

"É uma tristeza sem tamanho. O torcedor está no direito dele, não tem problema nenhum, Fizemos um ano ruim, triste, mas se for analisar, na maioria dos jogos, tivemos algumas coisas complicadas: bola desviando em jogador, erro técnico... Mostramos muito empenho, humildade e vontade de um proteger o outro nos últimos dois jogos. Agradeço aos jogadores, que honraram o clube mesmo sendo vaiados no aquecimento, sem chance de poder mostrar que estão virando a chave. Temos outro jogo e é honrar a camisa do Vasco mais uma vez. Esperar o próximo ano, tenho certeza que o Vasco voltará ao lugar de onde ele não merece sair. Eu conheço todos esses garotos desde os oito, nove anos de idade. Sei do amor que têm à camisa, mas ainda estão completando a formação. Precisamos apoiar, e, depois, se não der certo, cobrar", completou.

Confira outras respostas da coletiva

Halls e Tenório não foram relacionados

O Halls é nossa terceira opção e não justificava trazer três goleiros para o jogo de hoje, pois precisávamos mais de jogadores de linha. E, o Tenório, sentiu uma contusão no último treino. Ele seria relacionado.

Reformulação para 2022

O que a gente precisa é terminar o ano. Virá um novo diretor executivo, um novo treinador e eles vão fazer a reformulação. Isso não cabe à mim, estou aqui para desempenhar a minha função da melhor forma possível, que é dar o treino e escalar.

Não falou para os outros treinadores utilizarem mais a base?

A conversa sempre acontece. A comissão técnica é muito bem integrada. Existe uma semana de treinamento e cada treinador tem seu modelo de jogo e a característica de que gostam no jogador. Então, eles sabem o cenário e o que têm na mão. Escolheram jogadores que, no momento, estavam aptos a vestir a camisa do Vasco. É muito fácil comentar resultado. Durante a semana, só a gente está lá para ver como cada atleta desempenhou a sua função. Foi um ano irregular e era muito difícil fazer uma aposta em um jogador ou outro. Foi complicado, pela nossa instabilidade. Vamos olhar para frente, eu sempre foco no positivo e quero buscar encontrar isso de tudo aconteceu e fazer uma nova história.

Vasco