PUBLICIDADE
Topo

Paris Saint-Germain

PSG não joga a toalha, mas teme influência da data-Fifa no futuro de Mbappé

Futuro de Mbappé está entre PSG e Real Madrid a oito meses do final de seu contrato - REUTERS/Stephane Mahe
Futuro de Mbappé está entre PSG e Real Madrid a oito meses do final de seu contrato Imagem: REUTERS/Stephane Mahe

Arthur Sandes e João Henrique Marques

Do UOL, em São Paulo e em Paris

12/11/2021 04h00

Kylian Mbappé tem menos de oito meses de contrato com o Paris Saint-Germain e está perto de poder assinar pré-contrato com qualquer outra equipe. Na Espanha, o Real Madrid segue confiante de poder ter o craque de graça; já em Paris há preocupação com a data-Fifa desta semana, mas esperança de que fatores externos possam culminar na permanência do francês.

Segundo o UOL Esporte apurou, o PSG ainda não se dá por vencido quanto à saída de Mbappé e confia que alguma mudança externa ao clube, no cenário europeu, possa mudar os rumos do futuro do atacante —uma temporada de gala de Vinícius Jr. no Real Madrid, por exemplo, ou um maior protagonismo do próprio Mbappé em Paris etc.

Este plano, no entanto, encontra um obstáculo na data-Fifa desta semana. Fontes no PSG admitem que cada convocação da seleção francesa é motivo de preocupação porque pode aproximar Mbappé do futebol espanhol. Benzema é um fator importante da equação e já disse ter certeza que a ida do amigo para o Real Madrid é "questão de tempo". Ambos jogam juntos pela França nos próximos dias, contra Cazaquistão e Finlândia, pelas Eliminatórias para a Copa do Mundo.

Para ficar com o jogador, o Paris Saint-Germain está disposto a elevar seu salário ao patamar de Neymar e Messi e aceitar um contrato mais curto do que de costume. A possibilidade de afastamento de Mbappé chegou a estar na mesa no passado, mas foi descartada por causa da dedicação que o jogador tem mostrado nos treinamentos e jogos.

Mbappé passou por momentos de desconexão no PSG há alguns meses: não tinha muito assunto com os companheiros, ficou ausente das atividades extracampo da maior parte do elenco, queixou-se de que não lhe passavam a bola, entre outros desencaixes. No entanto, fontes ligadas ao vestiário do clube relatam que tudo isso foi resolvido, e a relação do francês com o grupo voltou a ser boa.

É diferente de sua relação com Leonardo, diretor esportivo do PSG. Os dois estão em rota de choque, e o atrito piorou após o dirigente dizer publicamente que "Mbappé quer ir ao Real Madrid", ainda durante a janela de transferências, em agosto. O atacante se sentiu exposto e até hoje evita conversar com Leonardo.

Da parte do Real Madrid, o jornal espanhol Marca informa que a estratégia por enquanto é esperar. Restam 50 dias para a virada do ano, e o PSG ficaria de mãos atadas já em 1º de janeiro caso Mbappé escolha assinar um pré-contrato. O próprio jogador já confirmou publicamente que "disse ao PSG que queria sair em julho".

Outra possibilidade seria o clube merengue refazer sua proposta na janela de transferências do inverno europeu. Ainda de acordo com a imprensa espanhola, seria uma carta de garantias que o Real Madrid estaria disposto a pagar para que o PSG não tivesse mais alguns meses para tentar fazer Mbappé mudar de ideia.

Paris Saint-Germain