PUBLICIDADE
Topo

Futebol

'Não acho que alguém chegue perto do Messi. Talvez Maradona', diz Lineker

Gary Lineker, ex-jogador de futebol e apresentador de TV - Justin Tallis/AFP
Gary Lineker, ex-jogador de futebol e apresentador de TV Imagem: Justin Tallis/AFP

Colaboração para o UOL, em Maceió

23/10/2021 16h30

O ex-atacante e hoje comentarista Gary Lineker teve uma carreira longeva no esporte. Jogou duas Copas do Mundo pela Inglaterra, foi artilheiro pelo Leicester, Tottenham e Everton, embora tenha conquistado poucos títulos por clubes e nenhum pela seleção.

Em 86, quando foi artilheiro da Copa do Mundo, Lineker viu de dentro de campo a magia de Maradona nas quartas de final. Naquele jogo, o craque argentino balançou a rede duas vezes: a 'Mão de Deus' primeiro e depois o lance antológico, em que sai driblando os ingleses até quase entrar com bola e tudo no gol.

Na discussão do melhor jogador de todos os tempos, no entanto, Lineker pende mais para outro argentino: é Messi quem desperta um pouco mais da sua curiosidade, justamente por ser bom e longevo.

"O Messi joga como se houvesse outro Messi há quarenta pés acima, que vê tudo e o coordena. O processo mental dele é diferente, uma coisa inacreditável. Não acho que alguém chegue perto do Messi, talvez o Diego [Maradona]. Mas são 17 anos. Diego teve poucos por conta dos seus problemas", disse ao jornal The Guardian.

Lineker compartilhou, ainda, sua visão sobre Diego Maradona, a quem considerou inteligente e divertido.

"Fizemos juntos o sorteio da Copa do Mundo para a televisão uma vez. Foi um sorteio complicado, com muita informação, mas deu tudo certo e sem erro. E no final eu disse algo tipo: "Você sempre foi bom com as mãos" e ele brincou sobre dar um soco na bola. Ele me deu um abraço forte e disse: "Você foi um bom jogador, mas se você fosse bom no futebol como você é bom nisso [comentando], talvez, talvez, você fosse bom como eu fui", lembra.

"Isso não é bonito? Fiquei muito feliz. 'Você talvez fosse bom como eu fui': uma brincadeira, mas gentil. E eu entendi: eu não era bom. Eu só fazia gols."

Futebol