PUBLICIDADE
Topo

Corinthians

Pressão cresce, mas diretoria do Corinthians não cogita demitir Sylvinho

Sylvinho recebe a camisa 6, sua numeração na época de jogador, das mãos do presidente Duilio Monteiro Alves  - Rodrigo Coca/ Ag. Corinthians
Sylvinho recebe a camisa 6, sua numeração na época de jogador, das mãos do presidente Duilio Monteiro Alves Imagem: Rodrigo Coca/ Ag. Corinthians

Yago Rudá

Do UOL, em São Paulo

20/09/2021 17h41

Classificação e Jogos

O técnico Sylvinho está sob pressão no Corinthians. Três empates em sequência no Campeonato Brasileiro e o distanciamento do G4 produziram na torcida, sobretudo nas redes sociais, uma reivindicação por mudança. A diretoria do Alvinegro, no entanto, não cogita trocar o comando da equipe e dá tranquilidade ao treinador na semana que antecede o clássico diante do rival Palmeiras.

O empate em casa diante do América-MG, clube que briga para se manter na Série A do Campeonato Brasileiro, não foi bem recebido no Parque São Jorge. Há uma série de críticas ao trabalho de Sylvinho, a maioria diz respeito à forma como o Corinthians atuou com os quatro reforços (Renato Augusto, Giuliano, Roger Guedes e Willian) disponíveis pela primeira vez.

Embora esteja invicto há sete rodadas, o Alvinegro tropeçou em sequência contra Juventude, Atlético-GO e mais recentemente América-MG. Em dez partidas na Neo Química Arena, o Timão conseguiu apenas duas vitórias e registra o terceiro pior desempenho entre todos os mandantes do Brasileirão.

Ciente da pressão e da reivindicação dos torcedores nas redes sociais, a diretoria do Corinthians garante o treinador no cargo e não cogita fazer qualquer tipo de mudança neste momento. No próximo sábado (25), a equipe recebe o Palmeiras pela 22ª rodada, e trata o Dérbi com extrema importância. Afinal, o Alviverde é um adversário direto na briga por uma vaga na Copa Libertadores do ano que vem.

Mano Menezes é descartado

Em meio aos debates levantados pelos torcedores nas redes sociais, o nome de Mano Menezes foi levantado como um possível sucessor ao cargo de Sylvinho caso o treinador perdesse o emprego. Embora tenha feito história em suas duas passagens pelo Corinthians, o gaúcho está descartado.

Atualmente diretor de futebol e ex-presidente do clube do Parque São Jorge, Roberto de Andrade já externou que não trabalha com o treinador. Além da má relação com o cartola, Mano Menezes chegou a insinuar, em 2016, que o Alvinegro era ajudado pela arbitragem. O episódio não foi bem recebido pela cúpula do Timão.

Corinthians