PUBLICIDADE
Topo

Futebol

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Menon: "Corinthians precisa arrumar o meio-campo. Tem um buraco ali"

Do UOL, em São Paulo

20/09/2021 04h00

Classificação e Jogos

Mais uma vez, o Corinthians ficou devendo na Neo Química Arena. Neste domingo (19), o Timão amargou um empate por 1 a 1 com o América-MG em casa, na 21ª rodada do Brasileirão. Nem mesmo a reestreia de Willian foi o suficiente para fazer o time do Parque São Jorge apresentar um bom futebol.

No Fim de Papo, live pós-rodada do UOL Esporte - com os jornalistas Isabela Labate, Menon, Maria Victoria Poli e Rodolfo Rodrigues - a atuação discreta do Corinthians em mais um jogo em casa foi alvo de discussão. Os comentaristas chamaram a atenção para o meio-campo da equipe, exatamente o setor para o qual foram contratados os principais reforços.

Apesar da euforia dos torcedores com as chegadas de Willian, Giuliano, Renato Augusto e Willian, Menon prega cautela. Para o colunista, não basta apenas escalá-los juntos e achar que tudo estará resolvido. "Colocar os quatro e achar que vai dar resultado é muito simplório. Tem que montar o time, treiná-lo, ver direitinho quem joga, com um se adaptando ao outro. Tem que marcar mais. Foi totalmente dominado pelo América-MG, que povoou o meio-campo. O Corinthians precisa arrumar esse meio-campo. Tem um buraco ali", observou.

Rodrigues seguiu a linha de Menon e apontou a questão física como outro fator importante para o desacerto do meio-campo do Timão. "De certa forma, o Sylvinho conseguiu acertar o time e encaixado com a entrada do Giuliano. Estava bem com Gabriel e Roni fazendo a parte de marcação. Também tinha o Adson pela meia, Gustavo Mosquito e Jô. Com a chegada dos novos, o Corinthians deu uma acelerada, principalmente com o Renato Augusto, que ainda está muito fora de forma. Contra o Juventude, achei muito ruim a escolha do Sylvinho. O Corinthians perdeu o meio-campo e, contra o América-MG, foi uma coisa meio parecida", comparou.

Mavi também acha que Jô está devendo. "Não dá para entender esse meio-campo com muito espaço, com linhas distantes. O time tem jogadores individualmente muito bons e espera-se que seja ofensivo, mas ficou devendo na intensidade. Hoje [ontem], acho que o Gabriel comprometeu bastante o time defensivamente e o Jô, ofensivamente. Foram muitas bolas jogadas nele para a tentativa de fazer um pivô, mas ele não conseguiu. Talvez fosse a hora de repensá-lo como titular", analisou.

Menon vê dificuldades na formação do meio-campo, o que também tem impacto direto no ataque. "Acho que o problema do Corinthians é tentar fazer todo mundo jogador junto, falando desses que chegaram. Você joga com quatro na defesa, um volante e quatro jogadores na frente. Hoje, eram Willian em uma ponta, Róger Guedes na outra, muito estático, Gabriel Pereira, que achei o melhor do time, e o Giuliano pelo meio. Esses quatro não conseguem fazer a bola chegar no Jô, que acho muito ultrapassado", opinou.

Rodrigues enfatizou que a preparação física deve ser um dos principais pontos de aprimoramento pelo Timão "O time mostra qualidade e bom toque de bola, principalmente com a entrada do Willian, mas ainda está muito desorganizado, desentrosado e sentindo essa parte física. Fábio Santos, outro veterano dessa equipe, não está rendendo o que rendia. Acho estranho o Sylvinho não dar chance para o Lucas Piton. O Jô está pesado e não acompanha o ritmo dos outros jogadores. No papel, o Corinthians tem bons nomes, mas em campo o rendimento não está lá essas coisas principalmente pela parte física. Precisa acertar isso para ter um resultado melhor", concluiu.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Futebol