PUBLICIDADE
Topo

Seleção Brasileira

Olha eles de novo: Brasil x Peru acontece pela 50ª vez; oito só com Tite

Tite cumprimenta Ricardo Gareca em jogo do Brasil contra o Peru na Copa América, em julho - Miguel Schincariol/Getty Images
Tite cumprimenta Ricardo Gareca em jogo do Brasil contra o Peru na Copa América, em julho Imagem: Miguel Schincariol/Getty Images

Gabriel Carneiro

Do UOL, em Recife

09/09/2021 04h00

Classificação e Jogos

Uma vez que as seleções da Europa fecharam as portas para amistosos contra times de outros continentes nos últimos anos, o Brasil teve de recorrer ao que restou de mais competitivo: os adversários locais na América do Sul. É por isso que, hoje (9), às 21h30, na Arena de Pernambuco, a equipe comandada pelo técnico Tite vai enfrentar o Peru pela oitava vez em pouco mais de cinco anos. O jogo é válido pela décima rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo do Qatar.

Além de ser o oitavo jogo contra a seleção peruana sob o comando do técnico, o desafio desta quinta-feira ficará marcado como o 50º clássico de uma rivalidade que está crescendo. O retrospecto geral ainda mostra grande vantagem para o Brasil: 35 vitórias, nove empates e apenas cinco derrotas. São 107 gols do Brasil (média de 2,1 por jogo) e 33 gols do Peru desde o primeiro jogo, em 1936.

O Peru é de longe o adversário que Tite mais vezes enfrentou pela seleção brasileira. Venceu seis de sete partidas e perdeu uma — é uma das três únicas seleções que venceram o Brasil nos últimos anos, junto com Argentina (três vezes) e Bélgica. Foram quatro jogos pela Copa América (edições de 2019 e 2021), dois pelas Eliminatórias da Copa da Rússia e mais um amistoso.

Os enfrentamentos constantes fizeram com que as duas comissões técnicas criassem laços e uma relação de respeito mútuo inclusive nos estudos que fazem uma sobre a outra antes dos jogos. Apesar da grande vantagem, existe uma preocupação de que esse momento de ajuste no sistema de jogo do Brasil seja aproveitado pelo Peru, que está mais encaixado no meio-campo.

Seleção - Marcello Zambrana/AGIF - Marcello Zambrana/AGIF
Seleção reunida antes de suspensão de jogo contra a Argentina pelas Eliminatórias; Tite vai repetir a escalação
Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

Organizada, a equipe dirigida por Ricardo Gareca, o argentino ex-Palmeiras, tem um jogo de passes curtos no meio-campo que dificulta os movimentos de pressão do Brasil para retomar a posse de bola, como gosta de jogar. Além disso, o Peru na maioria dos jogos contra o Brasil fez marcação média. Ou seja, não é um time recuado, que permite que os comandados de Tite ataquem com cinco homens, nem aquele que vai impor ritmo o tempo todo. O lateral-direito Danilo já definiu, inclusive, este jogo como um "quebra-cabeça tático".

O meia Everton Ribeiro começa jogando — como aconteceu contra a Argentina, no domingo, nos cinco minutos antes da suspensão do jogo. No último confronto diante do Peru na Copa América, foi ele quem resolveu o time taticamente no momento de maior pressão do adversário, retendo mais a bola no campo ofensivo. Como também entrou bem diante do Chile e fez o gol da vitória, ganha confiança de Tite.

Marquinhos cumpre suspensão e Lucas Veríssimo será seu substituto na Arena de Pernambuco. Por fim, Gérson venceu a concorrência com Bruno Guimarães para atuar ao lado de Casemiro na linha de quatro do meio-campo num provável 4-4-2.

FICHA TÉCNICA
BRASIL x PERU

Competição: Eliminatórias da Copa do Mundo, 10ª rodada
Local: Arena de Pernambuco, em São Lourenço da Mata (PE)
Data/hora: 9 de setembro de 2021, quinta-feira, às 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Wilmar Roldán (Colômbia)
Assistentes: Alexander Guzmán e Wilmar Navarro (ambos da Colômbia)
VAR: Esteban Ostojich (Uruguai)

BRASIL: Weverton; Danilo, Lucas Veríssimo, Éder Militão e Alex Sandro; Casemiro, Gérson, Everton Ribeiro e Lucas Paquetá; Gabigol e Neymar. Técnico: Tite.

PERU: Gallese; Advíncula, Santamaría, Callens e Marcos López; Renato Tapia, Yotún, Christofer Gonzales e Cueva; Carrillo e Lapadula. Técnico: Ricardo Gareca.

Seleção Brasileira