PUBLICIDADE
Topo

Grêmio

Grêmio se divide entre urgência de recuperação e mercado da bola 'fervendo'

Miguel Borja é um dos jogadores em negociação com o Grêmio no momento -  Pedro Vilela/Getty Images
Miguel Borja é um dos jogadores em negociação com o Grêmio no momento Imagem: Pedro Vilela/Getty Images

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

31/07/2021 04h00

Classificação e Jogos

O Grêmio precisa de recuperação no Campeonato Brasileiro. Em penúltimo na classificação, a equipe de Luiz Felipe Scolari busca a segunda vitória no torneio. Mas o foco está dividido. Ao mesmo tempo que requer empenho em campo, o cenário dos gabinetes tem tomado o noticiário.

A porta de saída é realidade para Matheus Henrique e Ruan. A dupla deve ter sua negociação confirmada nos próximos dias. Ambos serão vendidos ao Sassuolo, da Itália. Os acordos estão encaminhados.

E o percurso contrário também será contemplado. Na próxima semana, a expectativa é oficializar chegadas. O foco principal é o ataque, que pode receber mais de um jogador.

Pedro Rocha, do Spartak Moscou, viu sua negociação esfriar com o pedido de 500 mil euros (R$ 3 milhões na cotação atual), além do pagamento integral dos salários, para liberação. Miguel Borja, do Palmeiras, é alvo de consulta, mas, da mesma forma, o clube impõe condições para completar acordo.

Luiz Adriano, Junior Urso, Hernani, todos demandam negociações em diferentes status no momento. Casos de consultas, ofertas e investidas ainda sem definição.

Enquanto chegadas e saídas fervem nos bastidores, Felipão tenta organizar as coisas dentro de campo. A vitória pela Copa do Brasil cria um novo ambiente para recuperação no Brasileiro.

Com apenas uma vitória em 11 jogos, a busca por pontos, seja em casa ou fora e contra qualquer rival, é imperativa na luta para deixar a zona de rebaixamento. Até para não estar "na degola" quando o time receber reforços.

Grêmio