PUBLICIDADE
Topo

Atlético-MG

Cuca leva quatro jogos de gancho por ofensas ao árbitro Leandro Vuaden

Cuca foi punido pelo STJD pelas palavras ditas ao árbitro no jogo contra o Ceará, pelo Brasileirão - Marcel Lisboa/AGIF
Cuca foi punido pelo STJD pelas palavras ditas ao árbitro no jogo contra o Ceará, pelo Brasileirão Imagem: Marcel Lisboa/AGIF

Do UOL, em Belo Horizonte

28/07/2021 16h59

Classificação e Jogos

O técnico Cuca levou quatro jogos de punição por ofensivs proferidas contra o árbitro Leandro Pedro Vuaden, na partida do Atlético-MG contra o Ceará, na sexta rodada do Campeonato Brasileiro. A punição foi aplicada hoje (28), em sessão realizada pela Terceira Comissão Disciplinar do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). Os advogados do Galo podem recorrer da decisão.

O que deve acontecer de imediato é um pedido de efeito suspensivo para que o treinador possa seguir comandando o Atlético-MG do banco de reservas em competições nacionais até novo julgamento do caso, no Tribunal Pleno do STJD. Das quatro partidas de punição, Cuca já cumpriu uma, que foi a automática pela expulsão no jogo contra os cearenses, no dia 24 de junho.

Como o Galo joga hoje contra o Bahia, às 21h30, no jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil, a punição passa a valer, caso o efeito suspensivo não seja aceito pelo tribunal, no jogo do fim de semana. No domingo, às 16h, o Alvinegro jogará contra o Athletico, no Mineirão, na 14ª rodada do Brasileiro.

A Procuradoria denunciou Cuca com base no artigo 243-F do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD) por ofensa. Posteriormente a Procuradoria incluiu ainda o artigo 243-C por ameaça e pediu a intimação e comparecimento da arbitragem da partida para esclarecimentos.

Cuca, após o episódio com Vuaden, se desculpou com o árbitro, a quem chamou de "amigo".

"Considero o Vuaden meu amigo e as vezes a gente fala para os nossos amigos o que não fala com os demais. O que falei não faltei com o respeito e ele me deu o vermelho. Após a expulsão eu perdi a cabeça e acabei falando um monte de besteira ao Vuaden e o ofendendo. Eu me reportei em seguida já no mesmo dia e pedi meu empresário para fazer um texto de arrependimento. Não o vi mais e, por isso, não pedi desculpas pessoalmente. Mais do que me arrepender e reconhecer meu erro, tenha certeza que me puni muito. Jamais agredi alguém e nem tentei. No momento de destempero a gente fala muita coisa. Foi uma mistura de muitas coisas", disse à época o treinador.

Vuaden chegou a dizer que não conseguiu dormir direito naquela noite após os xingamentos do treinador.

Quando falo que me senti extremamente ofendido é que como ser humano e profissional. Faço sempre o melhor para o futebol e, se não fosse assim, não seria eleito o melhor árbitro do ano passado. Não posso me omitir e me senti sim muito fendido do fato, do momento. Jamais entrei no campo para perseguir, ajudar ou prejudicar alguém. No exercício da minha função procuro seguir as orientações que recebo da Comissão e esse sempre vai ser o meu norte. Somos questionados em toda partida e tenho que continuar a cada partida mostrando o meu melhor. Ele se aproxima e diz que tem nojo e fiquei surpreso com tudo que me foi dito. Me parece que me pegou para ouvir tudo. Naquela noite eu nem dormi. Acho que ficou mais no calor e minha obrigação foi de fazer a transcrição", disse Vuaden.

Dirigentes

O auxiliar-técnico do Atlético-MG, Éder Aleixo, também foi punido pelo STJD. O ex-jogador, agora membro da comissão alvinegra, recebeu 15 dias de punição por "reclamações desrespeitosas" contra a arbitragem. O diretor de futebol Rodrigo Caetano, também citado em súmula, foi apenas advertido.

Punição ao clube

O Atlético-MG também foi punido na sessão do STJD. A Procuradoria denunciou o Galo por atraso previsto no artigo 206 do CBJD. E o clube foi multado em R$ 1,6 mil por maioria dos votos.

Atlético-MG