PUBLICIDADE
Topo

Flamengo

Fla respira aliviado com vitória, mas baixas e "caso Pedro" desafiam Ceni

Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro

24/06/2021 04h00

Classificação e Jogos

Vitória por 2 a 1 sobre o Fortaleza, momentos de bom futebol e mais três pontos na conta. Era para ser uma noite de festa e de homenagens a Gerson, mas o Flamengo deixou transparecer problemas que afligem o técnico Rogério Ceni e desafiam a cúpula de futebol.

A saída do camisa 8 amplia um leque de ausências que faz com que o badalado elenco do Flamengo fique mais minguado a cada dia que passa. Sem Isla, Arrascaeta, Everton Ribeiro e Gabigol, que disputam a Copa América, o treinador soma mais uma perda e se vê de mãos atadas na missão de manter um bom padrão de atuação mesmo que com poucas peças.

Mesmo sem muitos jogadores importantes, o Rubro-negro vem somando pontos e atingindo os objetivos, porém há um consenso de que o grupo está enfraquecido. Ante a escassez, o banco de reservas do Fla no jogo de ontem foi composto por dois goleiros, dois laterais, dois zagueiros, três volantes e dois atacantes.

"As alternativas são pequenas para fazermos as trocas. Nós não temos muitas alternativas sem Gabriel, Arrascaeta e Éverton Ribeiro para fazermos trocas. Nesse período em que a gente mais precisava (de reforços), não houve condições. Os jogadores estão se sacrificando muito", disse ele, que completou:

"Nós precisamos de um bom jogador, dois bons jogadores no máximo, para junto com o elenco que temos fazer competitivo para tentar brigar".

Se os desfalques são lamentados dia após dia, o Rubro-negro tem um problema dentro de casa para resolver. No meio do fogo cruzado entre clube e CBF, o atacante Pedro sucumbiu. Irritado por ser substituído por Rodrigo Muniz, o artilheiro saiu esbravejando e chutando uma garrafa de água.

Ante a postura dos rubro-negros, que já avisaram que ele não será liberado para os Jogos de Tóquio, o atleta se vê dividido entre as obrigações contratuais o o sonho da medalha. Até a noite de ontem (23), a medida inominada impetrada pelo Fla no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) ainda não tinha sido analisada. Fato é que o clube vai até o limite legal para assegurar os seus direitos, o que cria uma saia justa com o jogador.

Geralmente comedido nas suas entrevistas pós-jogos, Ceni não mediu as palavras e detonou a atitude do jogador, em claro recado de que irá prevalecer o que foi definido pela direção:

"Acho desrespeitoso com o atleta que vai entrar, com o clube. Não é da característica dele, ele é muito bom garoto. Esse negócio de seleção e convocação mexe com a cabeça dele. É uma cena lamentável, não cabe mais no futebol de hoje. Acho feio, mas entendo que a cabeça dele possa estar embaralhada. Não é uma atitude condizente com o que eu conheço do Pedro".

Sem muito tempo para treinar e com poucas alternativas em mãos, resta a Ceni descansar seus jogadores e buscar soluções com o que tem em mãos. Na próxima rodada, o Fla visita no domingo (27) o Juventude, às 11h, no Alfredo Jaconi. Com nove pontos, os atuais bicampeões ocupam a 7ª colocação no Brasileiro, mas ainda têm dois jogos a cumprir.

Flamengo