PUBLICIDADE
Topo

Fluminense

Roger Machado critica jogo do Flu às 11h: "Pensam que estamos em Londres"

Siga o UOL Esporte no

Do UOL, em São Paulo

06/06/2021 13h41

Classificação e Jogos

O técnico Roger Machado se mostrou incomodado com o horário da partida entre Fluminense e Cuiabá, que aconteceu hoje (6), às 11h (de Brasília), no Rio de Janeiro. Durante entrevista coletiva, o treinador reclamou de uma falta de bom senso em relação à marcação dos jogos do Brasileirão.

"Foi um jogo difícil, num horário ruim, que o adversário está mais habituado. Às vezes me parece que o futebol brasileiro pensa que está em Londres, no inverno de Londres, jogando às 11h da manhã. Uma coisa é você jogar às 11h da manhã em Santa Catarina, no Paraná, no Rio Grande do Sul, no inverno. Outra coisa é jogar no Rio de Janeiro, no Nordeste", criticou.

A alta temperatura impactou em um dos jogadores mais veteranos do elenco do Fluminense. Desgastado, Fred foi substituído aos 15 minutos do segundo tempo por Abel Hernández. Mesmo assim, o clube carioca saiu de campo com a vitória por 1 a 0, com gol marcado pelo jovem Gabriel Teixeira no primeiro tempo.

Os próximos dois jogos do Fluminense serão contra o Red Bull Bragantino. Na quarta-feira (9), as equipes se enfrentam no jogo de volta da Copa do Brasil, depois de a equipe carioca vencer a ida por 2 a 0. No próximo domingo (13), eles jogam pela terceira rodada do Brasileirão.

Confira outras declarações de Roger Machado durante a coletiva:

Gabriel Teixeira

Quando eu vi os primeiros jogos do Estadual em que ele atuou, eu me dei conta que ali estava um jogador completamente preparado, não só técnico, mas tático e emocional. Um jogador que não sentiu o peso da estreia naquele momento, atuando na Libertadores, no Brasileiro.

Dentro das variáveis físicas e técnicas, é um dos mais potentes que a gente tem no grupo. É uma variável física comparada com a dos europeus, consegue fazer um jogo de altíssima intensidade durante os 90 minutos. Tenho dificuldade até para identificar onde ele pode evoluir ainda.

Talvez o que precise evoluir, se precisa evoluir, é o cabeceio, se eu posso dizer alguma coisa. Mas até agora o que eu tenho visto do Gabriel é um jogador extremamente completo em todos os sentidos. Fico muito feliz de participar do surgimento do Gabriel.

Menos posse de bola que o Cuiabá

O futebol não é uma disputa de quem tem mais posse de bola. É de quem tem mais e consegue ser mais eficiente. É a posse de bola relacionada a quantas vezes consigo chegar no gol adversário ou empurrar o adversário para trás.

Por vezes, o ambiente, o externo deseja empurrar que todo mundo tem que propor jogo hoje, independentemente do grupo, da característica que você tem, da capacidade dos jogadores. Todo mundo tem que propor jogo.

Defender bem é organização e talento. Atacar bem dessa forma é talento e organização. Se invertem essas variáveis. O fato de não ter a bola não significa que você é mais defensivo. Às vezes, você não ter a bola significa que você que está propondo o jogo, que está impondo ao adversário fazer o jogo que você deseja, levar a bola para onde você quer e roubar da forma como você deseja para chegar ao gol adversário.

Fluminense