PUBLICIDADE
Topo

Futebol

'Um buraco no tornozelo e outro na alma', diz Adriano sobre fim da carreira

Adriano Imperador passou por diversos times durante a carreira como jogador

Do UOL, em São Paulo

11/05/2021 10h47Atualizada em 11/05/2021 12h45

O ex-jogador Adriano "Imperador", ídolo de Flamengo, Corinthians, seleção brasileira e Inter de Milão, falou sobre a lesão que sofreu no tornozelo, em 2011, e contou bastidores da carreira.

"Quando rompi o tendão de Aquiles em 2011? Cara, eu sabia que ali estava tudo acabado pra mim, fisicamente. Você pode fazer uma cirurgia, reabilitar e tentar continuar, mas nunca mais será o mesmo. Minha explosão se foi. Meu equilíbrio se foi. Merda, eu ainda manco. Ainda tenho um buraco no tornozelo", disse ele em entrevista ao site The Players Tribune.

"Foi a mesma coisa quando meu pai morreu. Mas a cicatriz estava dentro de mim. 'Cara, o que aconteceu com o Adriano?' É muito simples. Tenho um buraco no tornozelo e outro na alma", lamentou o jogador.

"Quanto vale a sua paz?"

O jogador também falou sobre a repercussão que o retorno dele ao Rio de Janeiro teve no Brasil. Em 2010, vieram à tona fotos do jogador com armas e fazendo gestos em referência a uma facção criminosa.

A imprensa dizia que eu tinha "desaparecido". Eles falavam que eu tinha voltado para a favela e estava me drogando, e mais um monte de merda. Publicavam fotos minhas dizendo que eu estava cercado por criminosos e que minha história era uma tragédia. Quando escuto uma coisa dessas, só rindo mesmo, porque eles não têm a mínima ideia do que acontece na minha vida. Eles não sabem como isso pode machucar uma pessoa.
Adriano Imperador

O jogador disse que precisava retornar para "o seu povo", amigos e comunidade e não morar isolado de tudo e de todos. Para lidar com toda a pressão, ele viajou para São Paulo e recebeu atendimento psicológico no Reffis do tricolor paulista.

Adriano Imperador fala sobre derrocada da carreira após lesão no tornozelo - New Press/Getty Images - New Press/Getty Images
Adriano Imperador fala sobre derrocada da carreira após lesão no tornozelo
Imagem: New Press/Getty Images

Na época, Adriano diz que recebeu apoio do então presidente da Inter de Milão, Massimo Moratti, que autorizou a permanência do jogador no Brasil.

"'Adriano desistiu de milhões para voltar pra casa'. Sim, talvez eu tenha desistido de milhões. Mas quanto vale a sua paz de espírito? Quanto você pagaria para ter de volta a sua essência?", disse ele, que rebateu críticas da época.

"Adirano"

Adriano também contou como a influência de sua avó foi crucial para que ele mantivesse a cabeça no lugar e pudesse investir na carreira de boleiro. "Ela fazia questão de ficar lá me assistindo por horas".

"O mais engraçado é que ela não sabia falar meu nome. Desde que eu era um bebê, ela me chamava de "ADI-RANO! Então, durante o treino, ela gritava com as outras crianças: 'Solta a bola pro Adirano, meu filho'", contou ele ao Players Tribune.

Além de acompanhar atentamente a carreira da jovem estrela, a avó também o cobrava constantemente e apontava os "erros" que ele cometia nos jogos com outras crianças.

"Deixa ele aí"

O Imperador também contou da vez que ele quase foi dispensado da base do Flamengo. Quando ele tinha apenas 15 anos houve uma dispensa de atletas juvenis e por muito pouco ele não deu adeus ao rubro-negro.

"Eles apontariam pra cada um e diriam: 'Você, vai lá'. Fila da esquerda, você está dispensado. Agora, você fica. 'Eles apontaram pra mim. 'Adriano, vai lá.' A fila da esquerda. Adeus", explicou.

Mas, pela graça de Deus, enquanto eu caminhava em direção à saída, um dos treinadores gritou: 'Ei, não, não, não. Adriano, não. Deixa ele aí'.

Dois anos depois ele estava treinando com o time profissional do Flamengo, em outro nível de qualidade técnica. Vendo isso, Adriano sabia que precisava mostrar mais para a comissão técnica e colegas de equipe.

A oportunidade surgiu em um treino coletivo com dois times de 11 jogadores cada.

"A bola veio no pé esquerdo. Caiu na perna esquerda, já era. Eu nem consigo explicar. É como se Deus estendesse o dedo do céu e tocasse a chuteira. Fechei os olhos e chutei o mais forte que pude. A bola bateu no travessão", contou o Imperador.

"Cara, juro por Deus, a bola voltou no meio-campo. Não sei explicar. Reparei na expressão de todos. Os jogadores, os treinadores, todos. Eles ficaram impressionados, tipo: 'É esse moleque, mermo!'", continuou.

Pelo Flamengo, Adriano marcou 27 de seus 46 gols pelo clube no Maracanã. Ele foi campeão brasileiro pelo Rubro-Negro em 2009, além de ter faturado o título carioca em duas ocasiões (2000 e 2001).

Aos 39 anos, Adriano está afastado do futebol desde 2016, quando teve uma breve passagem pelo Miami United. Formado nas categorias de base do Fla, ele passou por São Paulo, Corinthians e Athletico-PR no futebol brasileiro. Na Europa, brilhou com a camisa da Inter de Milão na década de 2000 e também defendeu Fiorentina, Parma e Roma.

Futebol