PUBLICIDADE
Topo

São Paulo

São Paulo 'traduz' Paulistão para Libertadores e passa por teste na estreia

Luan e Tiago Volpi comemoram ao lado de Crespo um dos gols do São Paulo contra o Sporting Cristal - Getty Images
Luan e Tiago Volpi comemoram ao lado de Crespo um dos gols do São Paulo contra o Sporting Cristal Imagem: Getty Images

Thiago Fernandes

Do UOL, em São Paulo

21/04/2021 04h00

Classificação e Jogos

Intensidade, volume de jogo e marcação alta. Tudo o que o São Paulo fez sob a batuta de Hernán Crespo nos primeiros jogos pelo Paulistão foi visto na estreia na Copa Libertadores. O time replicou, com eficiência, o futebol do Estadual na vitória por 3 a 0 sobre o Sporting Cristal (PER), na noite de ontem (20), em jogo disputado no estádio Nacional de Lima, no Peru.

Em seu primeiro desafio internacional, diante de uma equipe que vinha de 21 jogos de invencibilidade (16 vitórias e cinco empates), o Tricolor paulista não decepcionou. Pelo contrário. A equipe deteve o controle da partida, mesmo fora de casa e diante de um oponente que tem forma de jogo semelhante e que se dispôs a encará-la. Terminou, assim, com mais posse de bola (56%) e mais chances de balançar a rede — 11 finalizações, sendo cinco na direção do gol defendido por Alejandro Duarte.

Pequena mudança

O time comandado por Crespo ainda teve repertório em campo. O técnico manteve a linha de três zagueiros, dois alas abertos e uma dupla ofensiva. É o seu esquema 3-5-2 que tem conquistado torcedores, atletas e membros da diretoria. Mas a disposição do meio de campo foi a diferença do que o técnico vinha trabalhando no Estadual — Liziero e Luan atuaram mais recuados, dando liberdade para Martín Benítez jogar solto, para além da liberdade já usual para o avanço dos alas Daniel Alves e Reinaldo.

A ideia do treinador era concentrar a criação de jogadas no trio e alternar essa dinâmica conforme a postura do oponente. Se os peruanos permitissem lances pelos lados, os dois alas seriam acionados. Caso contrário, a equipe passaria a atuar pelo meio de campo, com o argentino que veste o número 8 e foi eleito o melhor em campo pela Conmebol.

"Neste momento, o Reinaldo está jogando bem, mas o time está muito bem. É um momento particular em que as alas têm mais facilidades para jogar. Porém, depende muito do rival e das posições que hoje tiveram Benítez e Luciano. Se eles marcavam fora, a gente poderia jogar por dentro com Benítez. Eles marcaram por dentro, e o espaço estava por fora. Reinaldo e Daniel Alves fizeram um jogo de altíssimo nível", explicou Crespo ao fim do compromisso.

Riscos assumidos

Em que pese o jogo de tranquilidade e a vitória soberana na estreia da Libertadores, é preciso notar que, contra aquele que talvez tenha sido até agora o rival mais agressivo de sua temporada, São Paulo correu riscos na defesa. Ao marcar a saída de bola do adversário, cedeu alguns espaços e viu o mandante criar chances, mesmo que a maioria não tenha levado tanto perigo à meta defendida por Tiago Volpi. Mas esses são riscos calculados e reconhecidos por Crespo já em sua primeira entrevista coletiva no Brasil. A busca por protagonismo, em sua cabeça, passa por isso.

Contra o Sporting Cristal, o São Paulo chegou à quinta vitória depois da paralisação do futebol paulista por causa do agravamento da pandemia do novo coronavírus. Na semana passada, a equipe fez quatro partidas em sete dias e obteve rendimento perfeito no período, batendo São Caetano, Red Bull Bragantino, Guarani e Palmeiras.

As escalações mudaram de um jogo para o outro, com o intuito de evitar o desgaste físico do elenco, mas o padrão —tático e de eficácia— é mantido.

Os podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts e em todas as plataformas de distribuição de áudio. Você pode ouvir UOL São Paulo, por exemplo, no Spotify, Apple Podcasts, Amazon Music e YouTube.

São Paulo