PUBLICIDADE
Topo

Atlético-MG

Rodrigo Caetano, diretor do Atlético-MG, tem nome sondado pelo Grêmio

Rodrigo Caetano chegou ao Atlético-MG para traçar as metas e planejamento da temporada 2021 - Pedro Souza/Atlético-MG
Rodrigo Caetano chegou ao Atlético-MG para traçar as metas e planejamento da temporada 2021 Imagem: Pedro Souza/Atlético-MG

Guilherme Piu e Jeremias Wernek

Do UOL, em Belo Horizonte e Porto Alegre

19/04/2021 11h13

Classificação e Jogos

O diretor de futebol do Atlético-MG, Rodrigo Caetano, está no clube desde janeiro deste ano e, com menos de quatro meses na Cidade do Galo, o dirigente desperta o interesse de outra equipe. O dirigente recebeu sondagem de pessoas ligadas ao Grêmio, clube que passa por mudanças intensas no departamento de futebol desde a saída de Renato Gaúcho do cargo de treinador.

A informação da procura do Tricolor de Porto Alegre por Caetano foi adiantada pelo repórter Rafael Pfiffer, da Rádio Guaíba, do Rio Grande do Sul, e confirmada pelo UOL Esporte. Segundo informações colhidas pela reportagem, um emissário ligou para o dirigente em nome do clube gaúcho para tomar nota da situação do diretor atleticano. O contato foi informal e a conversa, pelo menos por enquanto, parou nessa sondagem.

Rodrigo Caetano trabalhou no Grêmio entre 2005 e 2008 e em Porto Alegre já trabalhou no lado gremista e no Colorado. O executivo deixou o Internacional em dezembro do ano passado, quando participou efetivamente da montagem do elenco vice-campeão brasileiro em 2020.

A montagem do departamento de futebol do Grêmio segue e o nome do ex-diretor de futebol do Galo também foi ventilado. Alexandre Mattos, que deixou o Galo no ano passado, também estava na lista de preferências dos gremistas. No entanto, o grupo dirigido pelo presidente Romildo Bolzan, neste momento, pensa em outras alternativas.

Caetano tem contrato de dois anos com o Atlético-MG e como ele mesmo já disse não costuma interromper contratos para mudar de clube. Esse seria um empecilho, já que o executivo tem histórico de cumprir acordos.

"Sempre fui um cara de cumprir contrato. Só não cumpri até o final com o Flamengo, saindo em maio de 2018, por um comum acordo que tinha com o presidente da época, o Eduardo Bandeira de Melo. Quando ainda sob contrato com o Internacional, eu tive duas propostas e eu não pude assumir, não avancei em negociação, porque tinha contrato firmado. Agora, chegamos no entendimento com o presidente do Internacional. A partir de agora vou definir o meu futuro dentre as propostas e convites que terei. É gratificante que nosso nome é lembrado por grandes clubes do futebol brasileiro: um deles é o Vasco, São Paulo nunca, sabendo que tem grandes profissionais trabalhando lá", declarou ao UOL Esporte em janeiro deste ano.

Oficialmente o Grêmio nega qualquer procura pelo nome de Rodrigo Caetano. O presidente tricolor falou logo após a vitória sobre o Novo Hamburgo, pelo Campeonato Gaúcho, sobre as mudança estratégicas no clube.

"O Grêmio tratará primeiro do que diz respeito à vice-presidência de futebol. Depois, com o vice escolhido, uma forma de trabalhar o treinador. Primeiro, se forma o departamento, depois a discussão do treinador. Será dessa maneira. Não tem situação de anunciar treinador. Primeiro o vice de futebol. Depois, em momento oportuno, vai tomar as providências", explicou.

Atlético-MG