PUBLICIDADE
Topo

Flamengo

Arrascaeta viu referências do Flamengo renovarem contrato antes de crise

Arrascaeta, Gabigol, Bruno Henrique e Everton Ribeiro formam o quarteto ofensivo do Flamengo. Uruguaio busca valorização que colegas tiveram - Alexandre Vidal/Flamengo
Arrascaeta, Gabigol, Bruno Henrique e Everton Ribeiro formam o quarteto ofensivo do Flamengo. Uruguaio busca valorização que colegas tiveram Imagem: Alexandre Vidal/Flamengo

Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro

17/04/2021 04h00

Classificação e Jogos

A crise econômica que contribui para travar a renovação contratual de Arrascaeta, do Flamengo, por pouco não afetou boa parte do time que havia conquistado o Brasileiro e a Libertadores de 2019.

Pouco antes de a pandemia do coronavírus encaminhar o mercado da bola brasileiro para uma retração, a diretoria havia fechado as renovações de Willian Arão, Bruno Henrique e Everton Ribeiro, todos considerados peças-chave no grupo campeão.

Contratado sem grande badalação no início de 2019, Bruno Henrique tinha contrato até o final de 2021. Valorizado pelas campanhas vitoriosas naquele ano, Bruno, que tinha salário abaixo da média das estrelas da companhia, assinou, em janeiro de 2020, novo vínculo até 2023. Pelo novo acordo, é claro, o camisa 27 recebeu um alto reajuste e driblou a crise.

Um dos capitães do elenco, Everton Ribeiro foi outro que conseguiu resolver sua situação antes da derrocada da economia. Pouco antes do embarque para o Mundial de Clubes, o meia esticou o compromisso de maio de 2021 para dezembro de 2023, garantindo o casamento mais amplo e vencimentos maiores.

Perseguido por parte da torcida antes da chegada de Jorge Jesus ao clube, Willian Arão também teve o trabalho reconhecido pela cúpula, que prorrogou o casamento com o volante até 2023. Assim como houve com os outros dois companheiros de equipe, o jogador fechou o trato pouco antes da explosão do vírus. O mesmo se aplica a Gabigol, que teve a compra sacramentada em 27 de janeiro de 2020.

Já com as receitas comprometidas e os portões do Maracanã fechados, os negócios posteriores foram feitos em bases bastantes diferentes. O caso de Diego Alves, por exemplo, é símbolo do pé no freio que virou lema na Gávea. Após negociação que quase acabou em litígio, o goleiro cedeu para ficar. Da mesma forma se entende a longa negociação com o lateral direito Rafinha, que, no fim, acabou fechando com o Grêmio.

Prejudicado pelo "timing", o uruguaio não conseguiu o aumento desejado, tampouco a compra de parte dos seus direitos. As partes conversam, mas dinheiro anda em falta. O Fla reconhece e quer o novo negócio, que está vinculado até dezembro de 2023, mas entende que o momento impede grandes saltos.

As partes já conversam há tempos, mas a pandemia mudou o rumo da conversa e o cenário é de cautela. O octocampeão do Brasil busca novos patrocinadores para preencher o uniforme e angariar mais fundos e, enquanto o marketing trabalha nessa frente, o departamento de futebol tenta fazer negócio com jogadores que não teriam tanto espaço no ano para desafogar o caixa e garantir seus principais nomes.

Há temor que esse imbróglio ainda se arraste, mas o Fla tem a seu favor o cumprimento integral de suas obrigações contratuais com o meia e a solidez financeira que faltou ao Cruzeiro, que viu seu principal jogador trocar Minas pelo Rio de Janeiro da noite para o dia. O estafe do ídolo, por sua vez, vê demora para que algumas promessas sejam cumpridas e aproveita para esticar a corda.

Fora do jogo diante do Vasco, o meia se recupera de entorse no tornozelo e se reapresentou normalmente no clube. Sua presença no jogo de terça-feira (20) contra o Vélez Sarsfield, pela Libertadores, ainda é incerta.

De volta a campo

Após a derrota por 3 a 1 para o rival Vasco, o Fla volta a campo em busca de sua reabilitação no Carioca. Hoje, a equipe encara a Portuguesa, às 21h05, no Luso-Brasileiro.

Como a competição continental é prioridade máxima, o técnico Rogério Ceni irá escalar uma equipe de reservas. Com 19 pontos ganhos, o time já está classificado à semifinal do Carioca.

FICHA TÉCNICA:

PORTUGUESA x FLAMENGO

Competição: Campeonato Carioca, décima rodada
Data: 17 de abril de 2021, sábado
Horário: 21h05 (de Brasília)
Local: Luso-Brasileiro, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Rafael Martins de Sá
Assistentes: Daniel do Espírito Santo Parro e Fabiana Nóbrega Pitta

PORTUGUESA: Negueti; Watson, Muniz, Pedro, Guerra, Luiz Otávio; Mauro Silva, Cafú, Chay; Jhulliam e Romarinho. Técnico: Felipe Surian

FLAMENGO: Hugo; Matheuzinho, Bruno Viana, Rodrigo Caio e Renê; João Gomes, Hugo Moura, Pepê e Vitinho; Michael e Pedro. Técnico: Rogério Ceni

Flamengo