PUBLICIDADE
Topo

Futebol

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Trajano: A diferença é que o Flamengo tem um 11 titular e o Palmeiras não

08/04/2021 04h00

Classificação e Jogos

Após a vitória no primeiro jogo pelo título da Recopa Sul-Americana, contra o Defensa y Justicia, o Palmeiras tem outra decisão no domingo, às 11h, contra o Flamengo, em Brasília, pela Supercopa do Brasil. Ao contrário do Alviverde, o Rubro-Negro já vem jogando com seu time principal no Campeonato Carioca, que segue em disputa, enquanto o Paulistão parou.

No Fim de Papo, live pós-rodada do UOL Esporte com os jornalistas Vinicius Mesquita, José Trajano, Alicia Klein e Danilo Lavieri, Trajano faz uma projeção em relação ao jogo entre Flamengo e Palmeiras, com o time de Abel Ferreira correndo risco de ser dominado caso repita a atuação que teve na Argentina, além de apontar como principal diferença a alta rotatividade do time palmeirense, enquanto o Rubro-negro tem uma escalação fixa.

"Eu não acredito que se repita esse jeito de jogar, se o Palmeiras jogar o que jogou hoje contra o Flamengo no domingo lá em Brasília, o Flamengo amassa sim o Palmeiras, mas é outro jogo. A diferença que eu acho maior entre os dois é que o Flamengo tem um 11 titular e o Palmeiras não tem um 11 titular. Qual é o time titular do Palmeiras? Agora, a escalação do Flamengo a gente sabe de cor e salteado", diz Trajano.

"A do Palmeiras eu não sei se o Rony vai jogar de centroavante, se o Willian vai ser titular, se não vai, se o Wesley entra em campo ou não entra, se o Patrick de Paula e o Danilo vão entrar no segundo tempo ou entram de cara, se vai jogar com oito laterais direitos, quatro laterais esquerdos, eu não sei. O Palmeiras está muito mais confuso em relação a esse jogo de domingo, porque o jogo de volta quarta-feira, aí é uma outra projeção ainda", completa.

Com o Flamengo tendo mostrado atuações superiores nas partidas contra Bangu e Madureira, Trajano destaca a fragilidade dos times e diz que não era de se esperar que o Palmeiras tivesse contra o Defensa y Justicia um futebol avassalador.

"Vamos falar do Flamengo, que é um adversário muito mais difícil, que já retornou ao campo mais cedo que o time do Palmeiras, que é um timaço, o Flamengo quando dá tudo certo é um timaço, e o pessoal está metendo a lenha no Palmeiras com razão, mas eu acho que comete uma certa injustiça. Que o Felipe Melo não jogou nada, que o Zé Rafael não jogou nada, a gente sabe disso, mas você esperava também que o Palmeiras fosse entrar em campo hoje e arrasasse, tivesse uma atuação espetacular vibrante", diz o jornalista.

"Eu esperava o Palmeiras mais ou menos por aí como foi, porque é difícil você voltar, retomar, o que eu acho meio confuso só é essa indefinição do time titular e acabar o jogo com dois laterais esquerdos e dois laterais direitos, isso me incomoda, confesso que me incomoda. E outra coisa que eu discordo, o Palmeiras melhorou com a entrada dos garotos por 10 minutos, depois se perdeu novamente. O Patrick de Paula foi horroroso, ele fez uma falta infantil, empurrando o jogador por trás e depois perdeu uma bola fácil, quase dá o gol para o time adversário", conclui.

O Fim de Papo volta a ser apresentado no domingo, a partir das 13h, com a análise da decisão entre Flamengo e Palmeiras na Supercopa do Brasil, em Brasília.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Futebol