PUBLICIDADE
Topo

UOL Esporte vê TV

Edinho defende Pelé sobre polêmica com filha: "Leva uma fama muito injusta"

Hoje trabalhando como funcionário do Santos, filho do "Rei do Futebol" foi convidado do "Arena SBT" na noite de ontem - Reprodução/YouTube
Hoje trabalhando como funcionário do Santos, filho do "Rei do Futebol" foi convidado do "Arena SBT" na noite de ontem Imagem: Reprodução/YouTube

Do UOL, em São Paulo

06/04/2021 07h54

Filho de Pelé, o ex-goleiro Edinho saiu em defesa do pai ao falar sobre uma polêmica pessoal envolvendo o "Rei do Futebol" e uma de suas filhas, Sandra Regina.

Convidado do "Arena SBT", Edinho desabafou sobre as críticas que Pelé recebe por não ter tido contato com a filha - Sandra morreu em 2006, dez anos após o reconhecimento de paternidade via DNA, sem ter convivido com o ex-camisa 10.

"Essa é uma situação pessoal. Não dá para traçar um paralelo com o futebol. Acima de tudo, as pessoas não sabem os detalhes desse episódio. É uma situação, apesar de triste, comum, de relação entre parentes. É uma situação triste, mas ele leva uma fama muito injusta, não condizente com a verdade", iniciou o ex-goleiro, que hoje trabalha como funcionário do Santos.

"Ele nunca negou ela em termos jurídicos, como a lei determinou. Mas a parte afetiva, pessoal, é uma relação complicada e complexa. Não dá para traçar um paralelo com o futebol. Ele tem exemplo de uma filha que teve também fora do casamento e que vive como uma irmã com a gente. É um paralelo exato, que teve um desfecho completamente oposto e nunca é citado no sentido comparativo. Se ele é criticado por isso, deveria ser elogiado no outro caso", desabafou Edinho.

Prisão vira dura ferida

O ex-goleiro, que acumula problemas com a Justiça, mostrou no programa que suas prisões se tornaram duras feridas.

Ele foi preso provisoriamente pela primeira vez em 2005, durante a Operação Indra, do Departamento de Investigações sobre Narcóticos (Denarc), acusado de envolvimento com uma quadrilha. Na época, Edinho ficou detido por seis meses, até a concessão de um habeas corpus por parte do Supremo Tribunal Federal (STF).

Em 2017, foi preso pela 5ª vez condenado a 12 anos e 11 meses de detenção por lavagem de dinheiro e tráfico de drogas - desde 2019, o filho de Pelé cumpre o restante da pena em regime aberto.

"Se eu pudesse apagar, seria o episódio todo que tive com a Justiça e a prisão. Principalmente por ele e toda minha família, esse seria o episódio que eu apagaria da minha vida", finalizou Edinho ao "Arena SBT".

UOL Esporte vê TV