PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Fortaleza: torcedoras sofrem ataques após repudiar chegada de Benevenuto

Marcelo Benevenuto, durante atuação pelo Botafogo - Transmissão TV Globo
Marcelo Benevenuto, durante atuação pelo Botafogo Imagem: Transmissão TV Globo

Bruno Fernandes e Josué Seixas

Colaboração para o UOL, em Maceió

01/04/2021 17h55

Classificação e Jogos

As coordenadoras da torcida organizada FEC Para Elas, do Fortaleza, dizem que estão sendo vítimas de ataques nas redes sociais após divulgar nota contra a contratação do zagueiro Marcelo Benevenuto, acusado de agredir a ex-namorada em 2017. O Fortaleza anunciou nesta quarta-feira (31) a contratação do atleta junto ao Botafogo. Na sequência a torcida organizada divulgou o rompimento com o futebol masculino do clube enquanto durar o contrato.

"Temos enfrentado muitos ataques desde o lançamento da primeira nota, então estamos evitando expor nossos nomes/imagem, deixando tudo concentrado no FEC Para Elas. Não sofremos nenhuma ameaça física e esperamos não receber. Mas, com o receio de aumentar as proporções, estamos evitando nos expôr", conta uma das coordenadoras.

Em um dos casos de ataque, a conta no Facebook de uma das administradoras chegou a sofrer tentativa de invasão poucas horas após a publicação da nota. No Instagram, não faltam xingamentos na rede social da torcida chamando-as de "medíocres", "canalhas" e as mandado "arrumar o que fazer".

Xingamentos foram feitos no Instagram - Reprodução/Instagram - Reprodução/Instagram
Xingamentos foram feitos no Instagram
Imagem: Reprodução/Instagram

Sobre os bastidores da contratação, a líder da torcida organizada, que pediu para não ser identificada, afirma que foi procurada pelo clube antes da contratação de Benevenuto ser oficializada.

"Depois da nota, o presidente Marcelo Paz me ligou, tentou justificar a contratação e saber se tinha a possibilidade de apoiarmos o clube com a decisão. Prontamente comuniquei que jamais apoiaremos essa contratação, pois mesmo o jogador não tendo sido condenado, existe uma acusação feita pelo Ministério Público do Rio de Janeiro", conta a torcedora sobre os bastidores da contratação.

Ainda segundo a ela, o objetivo da nota divulgada na tarde de terça-feira não foi condenar o jogador. "O clube decidiu por ir contra o nosso pedido, que era apenas um pedido de respeito à história de luta que nós, mulheres, e o clube vínhamos construindo de combate a violência contra mulheres."

Embora tenha suspendido as atividades junto ao time masculino do Fortaleza, a 'FEC Para Elas' afirma que não foi um rompimento de fato com o clube, apenas uma maneira de demonstrar insatisfação com o que foi decidido e que voltarão a apoiar o elenco masculino ao fim do contrato do jogador.

"Passaremos a nos dedicar integralmente ao futebol feminino do clube e às outras modalidades esportivas que o clube possui. Buscaremos também dar ainda mais apoio a todas as mulheres que nos acompanha e que estão no nosso grupo de apoio às mulheres da torcida, chamado #NósPorNós", afirma. O UOL procurou o clube que, respondeu não ter recebido de forma oficial notícias sobre os ataques sofridos pelas integrantes do coletivo independente.

Parte da torcida feminina também critica o fato de o anúncio da contratação ter sido feito no último dia do mês dedicado às mulheres e após uma crescente atuação do clube contra a violência.

Entenda o caso

Benevenuto chegou ao clube cearense emprestado pelo Botafogo e tem cláusula de rescisão de contrato em caso de condenação no processo judicial que corre na Justiça desde 2017, quando a ex-namorada do atleta declarou em depoimento que foi agredida com um soco no rosto durante discussão motivada por ciúmes.

Na época, o zagueiro foi intimado, negou a acusação, e o Ministério Público do Rio de Janeiro arquivou o caso. Contudo, no mesmo ano, o próprio MP voltou atrás em sua decisão e resolveu reabrir o processo contra o jogador. Agora Benevenuto aguarda o julgamento. Como se trata de um processo que envolve a Lei Maria da da Penha, o caso corre em segredo de justiça.

Futebol