PUBLICIDADE
Topo

Atlético-MG

Adeus de Sampaoli: auxiliar agradece Atlético-MG e exalta torcida do Galo

Do UOL, em Belo Horizonte

26/02/2021 00h36

O técnico Jorge Sampaoli, suspenso, não comandou o Atlético-MG do banco de reservas em seu último jogo pelo clube. De um dos camarotes do Mineirão, o argentino acompanhou a vitória do Galo por 2 a 0 sobre o Palmeiras, recebeu uma camisa personalizada das mãos do presidente atleticano, Sérgio Coelho, e sentiu o sabor da despedida.

Fora da coletiva de imprensa por causa da suspensão, Sampaoli deu lugar a Jorge Desio, seu auxiliar, que ficou com o papel de analisar a vitória em cima do Palmeiras e se despedir do clube. O treinador e seu estafe estão de malas prontas para o Olympique de Marselha (FRA).

"Uma equipe que sempre buscará o gol, em casa e como visitante. Não sei qual foi o motivo [de jogar melhor em casa]. Se tivesse jogado com a torcida, certamente seria isso, já que a torcida do Galo é muito boa. Mas, tivemos esse fato atípico e não contamos com as pessoas [torcedores]. Fomos muito fortes como mandantes e isso nos garantiu muitos pontos", explicou.

Sobre o trabalho conjunto com a diretoria, Desio também elogiou e agradeceu.

"Nós aprendemos muita coisa. Creio que todo ser humano aprende no dia a dia. No Galo, aprendemos muitíssimo. Aprendemos a valorizar os jogadores e os sacrifícios do treinamento, o amor à camisa a todo jogo, aprendemos a valorizar, mas nunca desvalorizamos, e reconhecer o esforço dos componentes de cada área do trabalho aportam. Somando tudo, creio que serviu ao resultado final", comentou.

Veja a última entrevista da "Era Sampaoli" no Galo

Parabéns aos dirigentes e funcionários

"Eu quero dar parabéns a todos do Galo, porque hoje finalizou o jogo e finalizou o período, o ano, o torneio. É o momento de dar parabéns aos dirigentes, roupeiros, médicos, jogadores, todos que trabalham no clube."

O jogo

"Com respeito ao jogo, me pareceu que não foi um jogo muito atrativo, até os últimos minutos. Nós não tivemos um bom primeiro tempo, creio que eles [Palmeiras] tiveram mais a bola. No segundo tempo, nos arrumamos um pouco melhor, mudamos na figura defensiva e podemos atacar um pouco mais. O Palmeiras foi um pouco melhor no primeiro tempo e o Galo no segundo."

Motivo do Galo ser o melhor mandante

"Uma equipe que sempre buscará o gol, em casa e como visitante. Não sei qual foi o motivo. Se tivesse jogado com a torcida, certamente seria isso, já que a torcida do Galo é muito boa. Mas, tivemos esse fato atípico e não contamos com as pessoas [torcedores]. Fomos muito fortes como mandantes e isso nos garantiu muitos pontos. É difícil saber qual é o motivo."

Por que Tardelli e Zaracho como titulares?

"Porque o treinador considerou que estavam bem. Diego não jogou o último jogo, mas os anteriores, teve uma boa semana. Zaracho também, e o treinador considerou que eram os recomendados para começar a partida. Temos muitos jogadores que poderiam jogar com parecido estilo de jogo, muitos bons jogadores, mas o treinador decidiu pelos dois."

O que vocês aprenderam com a passagem pelo Galo?

"Nós aprendemos muita coisa. Creio que todo ser humano aprende no dia a dia. No Galo, aprendemos muitíssimo. Aprendemos a valorizar os jogadores e os sacrifícios do treinamento, o amor à camisa a todo jogo, aprendemos a valorizar, mas nunca desvalorizamos, e a reconhecer o esforço dos componentes de cada área do trabalho aportam. Somando tudo, creio que serviu ao resultado final. Creio que terminamos a três pontos da parte de cima, classificados à Libertadores, ganhamos o Mineiro. O resultado foi muito bom, não só pelo corpo técnico, mas de todas as áreas que trabalhamos, nominar a todos é difícil."

Ficou o sentimento de frustração pela perda do título?

"Creio que todas as equipes que você perguntar isso gostariam de ser campeãs, mas seria injusto [considerar] que 19 terminam frustradas, não considero dessa maneira. Considero que quando o caminho é honesto, esforçado, vale a pena percorrê-lo. Campeão é um só, lutamos para ser, mas o resultado final foi bom enquanto (sic) a número e no caminho percorrido."

Qual o legado que vocês deixam para o próximo treinador?

"Nós vamos desejar o melhor, porque aprendemos a acreditar no clube, nos jogadores, nas pessoas que nos trataram bem, [sentimos] muito carinho com a torcida, que não convivemos no estádio, mas fora, nos fizeram sentir como se estivéssemos jogando uma partida. Vamos [embora] muito contentes por termos passado pela instituição. Espero que amanhã tenhamos a oportunidade de voltar e desejamos agora o melhor."

Atlético-MG