PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Presidente do Inter fica no Rio e vai à CBF hoje para tratar da arbitragem

O árbitro Raphael Claus apitou a partida entre Flamengo e Inter no Maracanã - Thiago Ribeiro/Thiago Ribeiro/AGIF
O árbitro Raphael Claus apitou a partida entre Flamengo e Inter no Maracanã Imagem: Thiago Ribeiro/Thiago Ribeiro/AGIF

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

22/02/2021 11h38

Classificação e Jogos

O presidente do Inter, Alessandro Barcellos, não retornou para Porto Alegre com a delegação, na noite de ontem (21). O mandatário permaneceu no Rio de Janeiro, e na tarde de hoje (22) irá à CBF para tratar dos temas referentes ao jogo contra o Flamengo, pela penúltima rodada do Brasileiro.

Barcellos quer entender as decisões de arbitragem e irá pedir para ouvir o áudio do VAR (árbitro de vídeo) que ocasionou a expulsão de Rodinei, no início do segundo tempo.

Na sede da Confederação Brasileira de Futebol, estará acompanhado pelo advogado Felipe Dallegrave, que trabalha para o clube.

Pela manhã, Barcellos comentou de forma propositiva o tema em entrevista à Rádio Gaúcha.

"O futebol brasileiro fatura mais de R$ 5 bilhões, numa conta que nem considera todas as equipes, fora o orçamento da CBF. Não é possível que não tenhamos uma fatia deste recurso para profissional a arbitragem, com critérios de formação, uma escola de arbitragem, para que eles fiquem concentrados apenas nisso. Os caras apitam dois jogos por semana e ainda têm outras atividades. Eles cuidam de algo muito importante para todo mundo", falou Barcellos.

"Eu tenho contato com a CBF praticamente diário, e hoje vou fazer uma visita lá. Vou insistir neste debate, quero entender como funciona. O Inter, com outros clubes, pode fazer um trabalho importante para dar condições e pensar em mecanismos financeiros que profissionalize a arbitragem. Uma escola, um quadro fechado que vá apitar os jogos", acrescentou.

Reclamações duras após o jogo

Depois da partida, o vice de futebol João Patrício Herrmann reclamou muito do árbitro e criticou a postura do Flamengo. O dirigente disse que foi "uma vergonha" o que houve no Maracanã, na derrota por 2 a 1 para o Flamengo, na qual Rodinei foi expulso no início do segundo tempo.

"Eu não entendo da parte jurídica mas todo mundo viu a vergonha que foi. A maior vergonha dos últimos tempos. A direção do Flamengo pressionou a arbitragem, o árbitro reserva, xingou nossos atletas. Vamos fazer nossa parte, o jurídico vai acompanhar de perto. Ainda acredito em lisura, retidão, e vamos continuar nessa linha. Estamos muito focados, o campeonato não acabou", disse.

"Vamos buscar o áudio do VAR, vamos ver os recursos. Temos convicção que o campeonato está em aberto. Vamos fazer nossa parte fora de campo, e os jogadores dentro dele", finalizou.

Com o resultado de campo, o Flamengo assumiu a liderança do Brasileiro e ficou a uma vitória do título. O Inter precisa secar o Fla e vencer o Corinthians para reverter o cenário e ser campeão.

Internacional