PUBLICIDADE
Topo

Flamengo

Herói em 2019, Gabigol volta a decidir em arrancada do Flamengo

Gabigol comemora com Rogério Ceni o segundo gol do Flamengo contra o Corinthians, no Maracanã, pelo Brasileirão 2020 - Paulo Sérgio/Estadão Conteúdo
Gabigol comemora com Rogério Ceni o segundo gol do Flamengo contra o Corinthians, no Maracanã, pelo Brasileirão 2020 Imagem: Paulo Sérgio/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

15/02/2021 04h00

O centésimo jogo de Gabigol com a camisa do Flamengo teve grande representatividade. Ontem (14), na vitória sobre o Corinthians no Maracanã, o herói do título da Libertadores de 2019 se consolidou como principal personagem do Rubro-Negro nesta reta final de Campeonato Brasileiro e manteve seu time dependente apenas de seus esforços para conquistar o troféu pelo segundo ano consecutivo.

Sem as lesões que o atrapalharam na temporada, Gabigol marcou em todos os últimos cinco jogos do Flamengo no Brasileirão. Os cinco gols ajudaram o time nas vitórias sobre Grêmio, Sport, Vasco e Corinthians e no empate com o Red Bull Bragantino. Essa sequência fez os rubro-negros se aproximarem de vez do Internacional na disputa pela liderança.

Mas não dá para falar apenas de gols para mostrar a importância dele no time. Em meio a um relacionamento às vezes turbulento com o técnico Rogério Ceni, o atacante se destacou com boas atuações, mostrando a disposição e a personalidade que o momento exigia para se buscar a reviravolta no Brasileirão. O ponto alto aconteceu justamente no primeiro jogo dessa sequência. Com um gol e duas assistências, ele levou o Flamengo à vitória por 4 a 2 sobre o Grêmio.

Antes que Gabigol atingisse seu melhor momento no Brasileirão, porém, ele teve de penar em um time que conviveu com duas trocas de técnico na temporada e com a "sombra" de Jorge Jesus, treinador supercampeão pelo Rubro-Negro em 2019. O centroavante passou boa parte do campeonato lesionado e participou de apenas 23 partidas das 36 do Flamengo. Por causa disso, passou a ter sua titularidade questionada, pois Pedro atravessava boa fase e era o principal artilheiro do time.

Com o passado de contusões superado, Gabigol soma agora 13 gols, o que o coloca na condição de artilheiro do Flamengo no Brasileirão ao lado de Pedro. Ele tem quatro de desvantagem para Marinho (Santos), Thiago Galhardo (Inter) e Claudinho (Bragantino) entre os principais goleadores da competição.

Desse total, oito aconteceram desde que Gabigol se recuperou da última lesão. A partida contra o Botafogo, logo após a eliminação na Libertadores, foi a última sem o centroavante à disposição por problemas médicos.

Depois disso, o Flamengo disputou 13 partidas, e Gabigol não esteve presente apenas em uma - estava suspenso no empate com o Fortaleza. Foram oito vitórias, dois empates e três derrotas. Os 26 pontos ganhos representam 66,6% dos pontos disputados no período, aproveitamento que colocaria o time na liderança do Brasileirão - o Inter tem 63,9% de aproveitamento.

Embora os piores momentos tenham ficado para trás, Gabigol deu um susto na torcida rubro-negra. Já no trecho final da partida contra o Corinthians, ele teve de deixar o campo por causa de uma torção no tornozelo. A gravidade da lesão, contudo, foi minimizada pelo técnico Rogério Ceni. "Acredito que o Gabriel possa estar presente. Eu falei com ele, é uma entorse, mas acho que não teremos problema para domingo que vem."

No próximo domingo (21), o Flamengo enfrentará o Internacional pela penúltima rodada do Brasileirão. Trata-se de um confronto direto na briga pelo título. Se o Rubro-Negro ganhar, chega à liderança e precisará de mais um triunfo na última partida (São Paulo, no Morumbi) para conquistar o bicampeonato.

Flamengo