PUBLICIDADE
Topo

Fluminense

Flu perde jogadores de graça no mercado, e pressão por vendas aumenta

Fluminense perdeu Evanílson por pouco e pode ver Marcos Paulo sair de graça; pressão por vendas aumenta - Lucas Mercon/Fluminense FC
Fluminense perdeu Evanílson por pouco e pode ver Marcos Paulo sair de graça; pressão por vendas aumenta Imagem: Lucas Mercon/Fluminense FC

Caio Blois

Do UOL, no Rio de Janeiro

28/01/2021 12h00

Classificação e Jogos

Dono de uma das melhores divisões de base do país, o Fluminense recebe forte atenção no mercado da bola. Frágil financeiramente, o clube sabe que precisará vender jogadores para compensar as saídas de graça e a queda de receitas em 2020.

Após ver suas receitas caírem em mais de 60% por conta da pandemia de coronavírus, o Tricolor alcançou apenas metade do projetado em vendas de jogadores no ano passado, apesar de ter perdido Marcelo Pitaluga, Gilberto e Evanílson para a Europa. Com o 2020 ruim, o orçamento do Fluminense para 2021 prevê mais de R$ 85 milhões com a negociação de atletas. O clube tenta evitar que outros jovens deixem saiam por valores baixos.

Depois de ver Dodi ir sem custos para o Kashiwa Reysol, do Japão, o Tricolor deve perder Marcos Paulo de graça para o Atlético de Madrid, da Espanha, e Wellington Silva para o Gamba Osaka, do Japão, sem nenhuma contrapartida ao clube. No caso de Wellington, o clube deve ter uma dívida com o jogador perdoada como "barganha" para liberá-lo de imediato.

A diretoria ainda tenta impedir que Marcos Paulo saia sem custos, já que esperava fazer do jovem a maior venda da história do clube. Após o Parma acenar com uma proposta de 1 milhão de euros (R$ 6,5 milhões) e mais 15% do lucro de uma futura negociação, além do interesse da Internazionale de Milão, o jovem assinou um pré-contrato de cinco anos com o time comandado por Diego Simeone.

O Atlético de Madrid, de acordo com o Fluminense, ainda não se decidiu entre pagar para ter a revelação de imediato ou esperar o fim do contrato para tê-lo sem custos.

A ideia do Flu é reter uma porcentagem de seus direitos econômicos e receber alguma quantia pela saída do jogador no mercado da bola. Marcos Paulo quer ir para Madrid imediatamente, tanto por questões pessoais quanto financeiras, e usa sua barganha para que o Tricolor ainda receba por volta de 2 milhões de euros por sua saída já nesta janela de transferências.

Apesar da vontade do jogador e do clube, a tendência é que o jovem só se mude ao fim do contrato para a capital espanhola, sem nenhum pagamento dos colchoneros para o Flu.

Pressão por vendas aumenta, e joias recebem assédio

As saídas de graça se somam à baixa captação de receitas pelo departamento comercial para aumentar a pressão por venda de jogadores no clube. O Fluminense sabe que precisa das transferências para pagar contas, o que retira do clube seu poder de barganha em negociações.

O assédio em joias do clube, como a "geração dos sonhos" de Xerém do sub-17, também tem aumentado com o aquecimento do mercado em 2021. O Tricolor, entretanto, também quer o retorno esportivo, e por isso mira vendas de jogadores mais velhos. Não há uma nova "bola da vez", mas jovens jogadores do time profissional, além de jogadores "ultrapassados" por mais jovens no sub-20 e sub-23 estão à frente na "fila" por transferências para fechar as contas.

Há também boas notícias nesse sentido: emprestado ao Trabzonspor, o lateral-esquerdo Marlon foi campeão da Superliga da Turquia coroando o bom momento no futebol do país. Nas 16 rodadas que entrou em campo pelo Campeonato Turco, foi selecionado quatro vezes para a seleção da rodada e é considerado o melhor de sua posição na competição.

O jovem de 23 anos tem opção de compra fixada ao empréstimo que vai até 30 de junho de 2021, que deve ser exercida pelo clube turco. Os valores não foram divulgados, mas o Flu já recebeu R$ 1 milhão pela cessão temporária.

Fluminense