PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Maradona: Família quer velório até às 16h; governo pede prazo, diz jornal

Torcedores olham caixão de Maradona na Casa Rosada - Argentina Presidency/Handout via Reuters
Torcedores olham caixão de Maradona na Casa Rosada Imagem: Argentina Presidency/Handout via Reuters

Do UOL, em São Paulo

26/11/2020 13h37Atualizada em 26/11/2020 13h48

A família do ídolo argentino Diego Maradona segue firme com a ideia de encerrar o velório às 16h, como combinado, mas o governo tenta conseguir mais tempo com a cerimônia, de acordo com o jornal Clarín. A solenidade começou às 6h da manhã de hoje e levou milhares de argentinos às ruas de Buenos Aires.

A justificativa do poder executivo para querer estender o prazo, que é de dez horas, é o temor por confusões entre os visitantes após o fechamento das portas da Casa Rosada. Muitos ainda aguardam na fila para se despedir do ídolo.

O velório foi marcado por confusões logo no início e teve uma multidão cantando pelo ídolo argentino durante o tempo de espera na longa fila que se formou no entorno da casa oficial.

Logo na abertura do velório, houve um princípio de tumulto com confusão entre fãs do ex-jogador e alguns policiais na Plaza de Mayo, na frente da Casa Rosada. O jornal Olé afirmou que uma pessoa ficou ferida.

Em meio à pandemia do coronavírus, aglomerações também foram registradas, mas a situação se normalizou minutos depois. O confronto aconteceu após alguns torcedores invadirem uma área bloqueada pela polícia. A fila para ficar dez segundos na frente do caixão de Maradona passa de cinco horas.

Futebol