PUBLICIDADE
Topo

São Paulo

Algoz do SPFC na Argentina tem 40 anos e cogitou aposentadoria na pandemia

Sand comemora um de seus gols pelo Lanús na vitória sobre o São Paulo - Staff Images / CONMEBOL
Sand comemora um de seus gols pelo Lanús na vitória sobre o São Paulo Imagem: Staff Images / CONMEBOL

Do UOL, em São Paulo

28/10/2020 22h54

Classificação e Jogos

O São Paulo foi derrotado pelo Lanús por 3 a 2 na noite de hoje (28) com dois gols de Sand, atacante de 40 anos que ganhou notoriedade na Argentina pelo perfil goleador. Assim como o time argentino, o atleta estava há sete meses sem fazer um jogo oficial nesta temporada — a sua última atuação foi em 16 de março passado, diante do Argentinos Juniors. Recentemente, inclusive, ele estudou pendurar as chuteiras.

Em meio à pandemia do novo coronavírus, quando ficou sete meses sem atuar, pensou em se aposentar por causa do longo período de dedicação no esporte. No entanto, foi convencido a seguir jogando pela diretoria do Lanús. Ele permanecerá pelo menos até o fim da temporada, previsto para fevereiro de 2021. Na nova data, pode fazer uma reavaliação da sequência dentro das quatro linhas.

Algoz do Tricolor paulista, o veterano iniciou a carreira como profissional na temporada 1999/2000 pelo Colón, também da Argentina. Ao longo da extensa trajetória no futebol, ganhou a fama por balançar as redes adversárias. Ele é o maior artilheiro da história do Lanús, com 129 gols em 203 jogos.

Experiente, ele teve a sua primeira passagem pelo clube em 2007, depois de defender as cores de Vitória, River Plate e Banfield, além do Colón. Após o sucesso na década passada, foi defender o Al Ain, dos Emirados Árabes Unidos, o Deportivo, da Espanha, e o Tijuana, do México. De volta à América do Sul, passou por Racing, Tigre, Argentinos Juniors, Boca Unidos e Aldosivi. Ele voltou ao Lanús em 2016. Mesmo com sucesso, foi para o Deportivo Cali em 2018. No mesmo ano, retornou ao Lanús e segue na equipe até os dias de hoje.

Em 2017, ficou ainda mais conhecido após ser acusado de matar a sua égua, conhecida como Dona Fantasia. O animal corria em um páreo na província de Corrientes, e o atacante foi processado por "dopagem de animais, jogo clandestino, exercício ilegal de medicina e associação ilícita".

À época, de acordo com a Associação de Advogados e Funcionários pelos Direitos dos Animais (AFADA), a égua faleceu por "parada cardiorrespiratória devido à adoção ilegal de coquetel de drogas aplicado antes da corrida para melhorar o rendimento". Ele, contudo, foi absolvido por falta de provas. César, irmão de Sand, foi preso de forma preventiva, mas pagou a fiança para deixar o local.

São Paulo