PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Arnaldo: Flamengo inicia contra o Inter uma série na qual pode se desgarrar

Do UOL, em São Paulo

23/10/2020 19h12

Líderes do Campeonato Brasileiro com 34 pontos, Internacional e Flamengo se enfrentam no domingo na disputa pela primeira colocação isolada, com o time gaúcho comandado por Eduardo Coudet vindo de uma classificação na Libertadores sem conseguir boas atuações em suas últimas partidas pela competição continental, enquanto o clube carioca evolui no trabalho de Domènec Torrent e se saiu bem em uma sequência de quatro jogos em poucos dias, além de se classificar sem dificuldades no torneio sul-americano.

No podcast Posse de Bola #67, Arnaldo Ribeiro afirma que o Flamengo tem uma sequência interessante para tentar se desgarrar dos demais caso consiga vencer os jogos seguidos contra os três times com os quais íntegra atualmente o G4 do Brasileirão.

"Acho que a sequência agora do Flamengo nos próximos três jogos, ela pode estabelecer uma vantagem, desde que o Flamengo vença esses três jogos, todos difíceis, uma vantagem quase decisiva nessa briga, porque é o Inter em Porto Alegre, depois é o São Paulo no Maracanã e depois o Atlético-MG no Mineirão. Ele pega os outros primeiros colocados na sequência, o Flamengo, sendo que o Atlético-MG já pelo returno", afirma Arnaldo.

"Vencendo esses confrontos diretos, o que é possível, que o Flamengo está jogando bem de novo, talvez essa fase embolada do Brasileiro que a gente está vendo, sobretudo entre Atlético-MG do Sampaoli, o Flamengo do Domènec e o Inter do Coudet, possa sofrer um desequilíbrio e o Flamengo abrir uma vantagem importante até o final do campeonato", completa.

Pelo lado do Colorado, que joga em casa contra o Flamengo, Arnaldo destaca que a estratégia usada por Eduardo Coudet na Copa Libertadores é semelhante ao que fazem os clubes argentinos, que muitas vezes se classificam com uma pontuação mais baixa na fase de grupos e depois encaram de forma diferente a competição.

"Eu vejo o Inter nessa temporada com uma estratégia argentina para administrar competições e não com uma estratégia brasileira. Isso pode ser assim mais visível até se a gente comparar o Inter com o Grêmio, que sempre teve a estratégia brasileira/Renato Portaluppi, que é o torneio principal de pontos corridos vai deixando de lado até não ter mais condição de brigar lá em cima. Tem acho que dois fatores, o fato de o Inter não ganhar um torneio nacional desde 1979, e até institucionalmente ser mais importante para o Inter a briga pelo Brasileiro do que propriamente por um torneio sul-americano", diz Arnaldo.

"A presença de um técnico argentino que está acostumado a viver a Libertadores desde que jogava de uma seguinte forma: a fase de grupos é uma etapa e o mata-mata é outro campeonato. Os argentinos lidam muito bem com isso, o Boca e o River, o que importa é passar. E quando o Inter em um grupo com o Grêmio viu que dava para passar mesmo que raspando, ele foi, na medida do possível, não largando o Brasileiro de uma forma que pudesse lidar com as duas coisas", completa.

Para o confronto com o Flamengo, Arnaldo vê o Inter encarando o jogo como uma final, considerando o jogo em casa e os jogadores poupados na derrota para a Universidad Católica.

"Chega no confronto direto, eu acho que o Inter joga uma final no Brasileiro contra o Flamengo em casa, mesmo sem torcida, eu acho que é a oportunidade e o Inter chega preservando alguns de seus principais jogadores, não levou para jogar contra a Católica o Coudet os seus jogadores mais essenciais, e vai jogar todas as fichas. Eu vejo o seguinte, uma diferença grande entre os dois em termos de elenco, em termos de potencial", diz Arnaldo.

"O Inter vai procurar conciliar enquanto possível Libertadores e Brasileiro, e a Copa do Brasil, paciência, se der, deu, se não der, não deu. É muito raro um time brasileiro ter essa estratégia que o Inter vem adotando nessa temporada e deve-se muito ao fato do Coudet, da presença do técnico argentino e tudo mais", conclui.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas e sextas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter). A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts.

Você pode ouvir o Posse de Bola em seu tocador favorito, quando quiser e na hora que quiser. O Posse de Bola está disponível no Spotify e na Apple Podcasts, no Google Podcasts e no Castbox . Basta buscar o nome do programa e dar play no episódio desejado. No caso do Posse de Bola, é possível ainda ouvir via página oficial do UOL e YouTube do UOL. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

Futebol