PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Rodada do Brasileirão vira teste para técnicos na berlinda após 9 demissões

Dyego Coelho comanda o Corinthians no empate sem gol com o Red Bull Bragantino - Diogo Reis/AGIF
Dyego Coelho comanda o Corinthians no empate sem gol com o Red Bull Bragantino Imagem: Diogo Reis/AGIF

Do UOL, em São Paulo

06/10/2020 19h03

Classificação e Jogos

A 14ª rodada do Campeonato Brasileiro trará à tona a situação dos técnicos que estão na berlinda. Dois deles vivem situações delicadas: Coelho, no Corinthians, e Fernando Diniz, no São Paulo. Nove treinadores já perderam o emprego até aqui.

Ambos serão testados mais uma vez amanhã (7). O Corinthians recebe o Santos na Neo Química Arena às 19h, enquanto o São Paulo mede forças com o Atlético-GO no Morumbi às 20h30.

No mesmo horário, o Fluminense enfrenta o Goiás no estádio da Serrinha, em Goiânia. Odair Hellmann, treinador do time carioca, também passa por uma situação desfavorável, embora num patamar menor em relação a Coelho e Diniz.

O treinador do Corinthians comandou o Corinthians nos últimos cinco jogos, com uma vitória, dois empates e duas derrotas. A equipe alvinegra soma 14 pontos no Brasileirão e ocupa a 14ª posição. O primeiro time da zona de rebaixamento é o Coritiba, com 12 pontos.

Já o São Paulo entrou em crise depois da eliminação precoce na Libertadores. No quarto jogo da fase de grupos, a equipe de Diniz perdeu para a LDU, do Equador, por 4 a 2 e praticamente deu adeus à competição. No Brasileirão, os são-paulinos somam 20 pontos, na sétima posição — já são quatro rodadas sem vencer,

No Fluminense, Odair Hellmann passou a ficar pressionado após a queda na Copa do Brasil, na derrota por 3 a 1 diante do Atlético-GO. No Nacional, o time carioca soma 18 pontos, na nona posição.

Em 13 rodadas do Brasileirão, nove treinadores já foram demitidos. São eles: Ney Franco e Thiago Larghi (Goiás), Tiago Nunes (Corinthians), Paulo Autuori (Botafogo), Roger Machado (Bahia), Felipe Conceição (Red Bull Bragantino), Daniel Paulista (Sport), Dorival Júnior (Athletico-PR) e Eduardo Barroca (Coritiba).

Futebol