PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Renato Maurício Prado: "Diniz se perdeu, ele não faz os jogadores renderem"

Do UOL, em São Paulo

01/10/2020 01h30

Classificação e Jogos

No Fim de Papo, live pós-rodada do UOL após a derrota para o River Plate que marcou a eliminação do São Paulo da Libertadores, além das goleadas do Flamengo sobre o Independiente Del Valle e do Palmeiras contra o Bolivar que confirmaram a classificação dos dois times, os jornalistas José Trajano, Renato Maurício Prado e Danilo Lavieri comentam, com a apresentação de Vinícius Mesquita, as atuações das equipes e os desdobramentos dos resultados.

O São Paulo entrou em campo com chances pequenas de classificação, precisando vencer o River Plate em Avellaneda para seguir vivo na competição e depender de uma combinação de resultados na última rodada, mas acabou derrotado por 2 a 1. Na opinião Renato Maurício Prado, o técnico Fernando Diniz se perdeu no comando do time e não consegue fazer os jogadores renderem.

"O problema do Diniz é que eu acho que ele se perdeu. O Diniz, por mais que eu concorde que os jogadores não estão rendendo, tem aquela velha teoria de que o técnico bom faz os jogadores jogarem melhor e o Diniz não está conseguindo fazer os jogadores do São Paulo jogarem melhor, essa é que é a verdade. Pelo contrário, o Pablo era um excelente atacante no Athletico-PR e no São Paulo não dá liga", diz Renato.

"Eu acho que hoje foi uma pá de cal. Não estou querendo derrubar o Diniz, mas ele tem um ano de trabalho. Um ano de trabalho já era para ter encontrado uma maneira de jogar desse time do São Paulo, a gente vê esse time do São Paulo jogar e não consegue identificar nada", completa.

Outra crítica do jornalista é em relação a Daniel Alves e a forma como o técnico escala o camisa 10 do time, atuando como um armador e não como lateral, sua posição de origem.

"O Daniel Alves virou um mico, essa é que é a grande verdade, porque ele não é um armador, mas ele é tecnicamente o melhor jogador do time e o Diniz não consegue encontrar uma maneira de fazer o São Paulo andar e deixar o Daniel Alves como aquele plus, aquele negócio que de repente dá um toque sensacional e decide. Armar o jogo, ele não vai armar", afirma Renato.

Flamengo vai bem com jovens e estrelas retomando a forma

Já o Flamengo, que mesmo desfalcado de jogadores e até do técnico Domènec Torrent devido à covid-19, ficou perto de devolver a derrota sofrida por 5 a 0 para o Independiente Del Valle na altitude e fez 4 a 0 no Maracanã, com garotos da base mais uma vez atuando bem, fator destacado por José Trajano, que também citou os jovens do Palmeiras.

"Estão pintando jovens de uma forma grandiosa no Palmeiras, que tem até um jogador que foi convocado para a seleção brasileira, e o Flamengo. O Palmeiras não tinha uma tradição de formar tantos jovens assim. De repente tem Patrick de Paula, tem o Danilo, tem o Gabriel Menino, o outro garoto lá na frente, o Veron. E o Flamengo, claro, teve essa oportunidade aí por causa da covid, e colocou um bando de jovens sensacionais", disse Trajano.

Renato Maurício Prado afirma que os jogadores do Flamengo parecem estar voltando à forma e que se o time conseguir se acertar fisicamente, dificilmente será derrotado no Brasil.

"A verdade é que o Flamengo largou a forma e agora que está começando a recuperar, você acha que o Bruno Henrique iria esquecer o que jogava de futebol? É claro que não. O Gabigol vai deixar de fazer gol? Claro que não. Se estiver em forma, não perde para ninguém no Brasil", declara o jornalista.

Palmeiras aproveita fraqueza do adversário após sustos

Outro clube brasileiro que jogou pela Libertadores e goleou foi o Palmeiras, com 5 a 0 sobre o Bolivar no Allianz Parque, em jogo no qual o time de Vanderlei Luxemburgo sofreu alguns sustos durante o primeiro tempo, mas deslanchou na segunda etapa. Para Danilo Lavieri, o Palmeiras fez sua obrigação diante de um time muito fraco.

"Quando você pega um time ruim, a sua obrigação é passar por cima e foi o que o Palmeiras fez, apesar de um primeiro tempo bem mais ou menos. O Palmeiras fez um gol logo aos 4 minutos e depois correu um risco que não deveria correr contra um time desse nível, mesmo com a defesa que é tão segura, que é a melhor do Brasil no ano, enfim, o Palmeiras sofreu contra o Bolivar mais do que deveria ter sofrido e aí no segundo tempo, de fato, deslanchou", afirma Lavieri.

"Mas o Bolivar é tão ruim que fica até difícil você conseguir falar que isso dá um sinal. O que eu acho que é fundamental independentemente da ruindade do Bolivar é a confiança que isso vai dar", conclui.

O Fim de Papo volta a ser apresentado na próxima semana, após os jogos de quarta-feira na rodada do Campeonato Brasileiro, como o clássico entre Corinthians e Santos, o jogo entre Flamengo e Sport, entre outros.

Futebol