PUBLICIDADE
Topo

Fluminense

Presidente do Flu explica saída de Evanilson e admite analisar reposição

Mário Bittencourt, presidente do Fluminense - Lucas Mercon/Fluminense FC
Mário Bittencourt, presidente do Fluminense Imagem: Lucas Mercon/Fluminense FC

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

08/09/2020 16h24

Um dia após a confirmação da saída do atacante Evanilson, vendido ao Porto, de Portugal, Mário Bittencourt, presidente do Fluminense, concedeu uma entrevista coletiva e explicou o motivo de o Tricolor ter ficado de "mãos atadas" na negociação. Além disso, o mandatário indicou que a diretoria estuda o mercado para uma reposição no setor.

"O primeiro contrato do Evanilson foi quando ele fez 16 anos, de 2015 até 2018. O primeiro contrato profissional de um atleta só pode ser assinado por três anos. Quando ele fez 18 anos, poderia ter assinado por cinco anos, mas as pessoas que aqui estavam assinaram um novo contrato por mais três anos, que terminaria no início deste ano. À época, ele ainda não havia subido. Nós conversamos com os representantes e disseram que ele não havia se sentido valorizado pela gestão anterior. Ele fez um acordo com a Tombense e conseguimos um empréstimo por dois anos, com o Fluminense ficando com 10% dos direitos e 20% de taxa de vitrine, o que daria 30%", lembrou.

"Recentemente, o jogador foi procurado por alguns clubes. Dentre eles, a principal proposta era de um clube inglês, do Crystal Palace. Fomos informados. Eu pedi para que ele ficasse até o final do Campeonato Brasileiro e da Copa do Brasil, e os representantes conseguiram isso junto ao Crystal Palace. Mas surgiu uma proposta do Porto, com valores maiores. Não tínhamos controle sobre isso. Fiz o mesmo pleito, mas por vontade do clube português e do atleta, [ele] foi agora. Nos cabe aceitar. Era uma situação que estava praticamente perdida", completou.

Bittencourt admitiu que a cúpula está estudando possibilidades para contratar um reforço para o setor ofensivo, mas mantém cautela devido à situação financeira do clube das Laranjeiras.

"Vamos avaliar se vamos ter condição de fazer essa reposição, e no mesmo nível. Vamos observar nestas próximas semanas, mas, certamente, vamos avaliar alguns nomes, mercado sul-americano. Já andamos vendo algum coisa para fazer essa reposição".

Veja outros ponto da coletiva:

Reposição após a saída de Gilberto

"Estamos procurando, mas tendo dificuldade no mercado. Tem poucos jogadores disponíveis e o mercado sul-americano só abre mais para frente. Então, não teríamos esse jogador agora".

Renovações de Dodi e Luccas Claro

"Em relação ao Dodi e ao Luccas Claro, fizemos a proposta e estão avaliando. Não houve nem sequer uma contra-proposta. Estão avaliando. Ambos têm contrato até o fim do ano, e têm o direito de nos responder até o fim do ano. Eu acredito que não passe do mês de setembro. Nós dissemos que precisamos de uma resposta, porque, caso optem em não ficar, teríamos que buscar outros jogadores para a posição. Com o Dodi, vínhamos conversando sobre a renovação desde a quarentena, antes das finais da Taça Rio. Fizemos uma nova proposta depois desse período e estamos esperando a resposta. Sem querer transferir responsabilidade, mas está nas mãos deles".

Chegada de Danilo Barcelos

"Os nosso critérios são técnicos em todos os sentidos. Jamais vamos deixar de trabalhar tecnicamente em razão de politizar certas situações. Vínhamos buscando um lateral-esquerdo. Infelizmente, todos jogadores que tentamos eram muito caros. Não vou citar valores, mas custariam o dobro dos atacantes que temos aqui. O Odair nos trouxe o nome do Danilo Barcellos. Temos uma folha que, talvez, seja a 13ª ou 14ª folha do Campeonato Brasileiro.

O Odair apontou que o Danilo tem características diferentes das do Egídio. Ele queria um atleta com outras funções, para atender outras situações de jogo. O Angioni ligou diretamente para o Autuori. Ele disse que o Danilo Barcelos já havia pedido liberação por ter recebido uma proposta do Cruzeiro. Conversamos com os empresários e entramos em contato diretamente com o atleta.

Fizemos uma proposta, financeiramente, idêntica à do Cruzeiro. Ele disse que, por uma proposta igual, iria para o Cruzeiro, que o pai dele é cruzeirense e estaria realizando um sonho do pai. Mas se o Fluminense pudesse melhorar o prazo da proposta. Então, demos um contrato maior para ele. Ele tem 29 anos anos, fizemos um contrato de dois anos e quatro meses. É um jogador que veio a custo zero".

Marcos Paulo

"Vou ser transparente: o interesse do Marcos Paulo e dos representantes é de sair nesta janela. O jogador tem esse desejo e é importante que isso fique claro. Já falei com o Marcos Paulo, e com os representantes deles, que se não sair nesta janela, temos o interesse em renovar. Já fizemos uma proposta. Confio no atleta e nos representantes dele. Ele sempre me diz que jamais sairia do Fluminense sem o Fluminense ser recompensado. Fizemos uma proposta, mas o salário não chega nem perto o de um clube médio da Europa, essa é uma realidade".

Fluminense